Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Interino começa gestão no Corinthians em jogo tenso em Itaquera

Diante do Fluminense, Fábio Carille tenta evitar outra eliminação do time em seu estádio

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

21 de setembro de 2016 | 07h00

Ficou para o técnico interino do Corinthians a missão de começar a gestão com o complicado cenário de um mata-mata em Itaquera. Sob pressão da torcida e cercado de desconfiança, o time de Fábio Carille recebe nesta quarta-feira o Fluminense, às 21h45, com a tarefa de empatar sem gols para avançar na Copa do Brasil, minimizar a crise e diminuir o temor de nova eliminação em casa. A igualdade de 1 a 1 leva a decisão para os pênaltis.

O Corinthians vem de cinco quedas em mata-mata dentro do próprio estádio. O trauma é recorrente e agravado pela situação atual. Ao contrário das derrotas no Itaquerão nas duas últimas Libertadores, nos dois recentes Estaduais e na Copa do Brasil do ano passado, a equipe está em momento ruim. São três jogos sem vitória, mais a demissão no sábado, após tropeço diante do Palmeiras, do técnico Cristóvão Borges.

O empate por 1 a 1 com o Flu, na ida, em Mesquita, ao menos deixa o time em situação mais cômoda. Empate sem gols ou vitória simples bastam para avançar às quartas de final. "É de suma importância a classificação, até para dar confiança ao time, ganhar moral. É fundamental ficarmos vivos e passar de fase", resumiu o goleiro Cássio. O jogador recebeu uma placa da diretoria por completar nesta quarta 250 partidas pelo clube.

O primeiro jogo da 'era Carille' terá time modificado. O interino armou a escalação em treino tático com cinco mudanças em comparação à equipe da derrota para o Palmeiras. Entram o lateral Fagner, o zagueiro Yago, os meias Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto, e mais o atacante Romero.

O zagueiro Vilson deixou o time por sentir dores musculares. O atacante Gustavo saiu porque não pode jogar mais na Copa do Brasil – ele já atuou pelo Criciúma. Fagner retorna após cumprir suspensão. Cristian e Lucca deixam o time por opção do novo treinador.

MOMENTO RARO

Um dos mais antigos no elenco, Cássio contou ser estranho viver momento de tamanha cobrança no clube. O goleiro contratado no fim de 2011 saboreou as maiores glórias com os títulos da Libertadores e do Mundial da Fifa. Agora, encara uma das suas primeiras crises no Parque São Jorge.

"Ter um técnico demitido é a primeira vez. Até mandei mensagem para o Cristóvão depois da saída. Eu gostava dele. Ficamos chateados por não conseguir fazer o suficiente", disse.

Na véspera da partida, até o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, foi ao treino. O dirigente admitiu ter ido ao local para transmitir apoio e confiança ao elenco e explicou que a saída de 20 jogadores na temporada foi uma medida tomada para sanear as finanças do clube no futuro.

"Ao mesmo tempo, eu sou torcedor e gestor. Isso tem confronto. Como torcedor, quero sempre mais, o melhor, o que é fora da realidade. Mas como gestor, não posso fazer isso", afirmou o presidente.

O cartola garantiu não ter procurado outro técnico para substituir Carille. A ideia de Roberto de Andrade é manter o interino até o fim da temporada, para só depois buscar um novo caminho. O dirigente garantiu que, mesmo com tantos protestos, tem recebido apoio e afirmou que não teme sofrer pressão política pelo momento ruim que o Corinthians atravessa.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS X FLUMINENSE

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Yago, Balbuena e Guilherme Arana; Camacho; Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto, Rodriguinho e Marlone; Romero. Técnico: Fábio Carille.

FLUMINENSE: Julio Cesar; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Pierre, Cícero e Gustavo Scarpa; Marcos Júnior, Wellington e Henrique Dourado. Técnico: Levir Culpi.

Juiz: Rodolpho Marques (PR)

Na TV: Globo, SporTV, ESPN Brasil e Fox Sports 2

Local: Itaquerão

Horário: 21h45

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.