Carlota Ciudad/EFE
Carlota Ciudad/EFE

Interino confirma Argentina cheia de mudanças e tem uma dúvida para pegar Brasil

Serão pelo menos sete alterações em relação à goleada por 4 a 0 sobre o Iraque, na última quinta

O Estado de S.Paulo

15 Outubro 2018 | 18h58

O técnico-interino da Argentina, Lionel Scaloni, anunciou nesta segunda-feira que fará diversas mudanças para encarar o Brasil, no amistoso de terça em Jeddah, na Arábia Saudita. Serão pelo menos sete alterações em relação à goleada por 4 a 0 sobre o Iraque, na última quinta. Há ainda uma dúvida entre os titulares.

Daqueles que iniciaram o duelo da semana passada, serão mantidos na equipe o goleiro Sergio Romero, o zagueiro Pezzella e o atacante Dybala. Há ainda a possibilidade de Lautaro Martínez ser novamente escalado, mas Angel Correa pode ganhar a vaga do jogador da Inter de Milão.

"A formação para amanhã será: Romero; Saravia, Otamendi, Pezzella e Tagliafico; Paredes, Battaglia e Lo Celso; Dybala, Icardi e Correa ou Martínez", anunciou Scaloni nesta segunda, deixando apenas uma dúvida no ar.

Havia a expectativa sobre a possível escalação do gremista Kannemann como titular, mas ele seguirá no banco. Bustos, Funes Mori, Vázquez, Paredes, Meza, Rodrigo De Paul e Acuña, que foram titulares contra o Iraque, também ficarão apenas como opções.

Neste início de novo ciclo para a Copa do Mundo do Catar, de 2022, Scaloni optou por poupar diversos medalhões da seleção. Nomes como Di María, Messi, Agüero e Higuaín ficaram de fora da convocação, enquanto jovens valores foram chamados. Diante de um Brasil mais experiente, o interino considerou que o rival larga em vantagem na terça.

"É preciso sair e jogar a partida, fazer o melhor possível. Eles vêm mais rodados, com um treinador que já está lá há tempos. É um encontro entre duas grandes equipes, não acho que haja um favorito", opinou.

Mesmo com um grupo tão jovem, Scaloni prometeu que a Argentina apresentará um futebol ofensivo na terça. "Gosto do futebol vertical, chegar rapidamente ao gol adversário. Acredito que, neste caso, a partida vai ter um ritmo lento por causa do calor. Mas esperamos fazer um bom espetáculo e que possamos desfrutar de uma boa partida."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.