Interino festeja 'dia maravilhoso' e exalta campanha do vice

Atlético-MG termina Nacional em segundo lugar

Estadão Conteúdo

07 de dezembro de 2015 | 09h05

Depois de ver o Atlético-MG vencer a Chapecoense por 3 a 0, neste domingo, no Mineirão, e garantir o vice-campeonato nacional, o técnico interino Diogo Giacomini festejou o bom desempenho da equipe no confronto e exaltou a boa campanha da equipe do Brasileirão, no qual só não foi melhor do que o Corinthians.

"Foi um dia maravilhoso, a equipe controlou o jogo a todo momento e fiquei feliz por ter acertado na escolha do Lucas Cândido (substituto do suspenso Leandro Donizete), um atleta com muito potencial. Fizemos um jogo seguro, controlamos a todo momento e saímos com uma vitória consistente. Merecidamente, o Atlético foi vice-campeão porque foi o time que brigou pelo título a todo momento", ressaltou o treinador, que assumiu temporariamente a vaga deixada por Levir Culpi, surpreendentemente demitido na reta final da competição nacional.

"Quero agradecer ao profissionalismo desses jogadores, que me respeitaram muito nesses dez dias", afirmou Giacomini, lembrando que precisou realizar um trabalho motivacional com o grupo, que teve de se contentar com a briga pelo vice-campeonato nacional após o Corinthians ficar com a taça com três rodadas de antecipação.

"Tentei, desde o primeiro dia, valorizar a temporada que eles fizeram para que não ocorresse uma queda de rendimento pela perda do título. Mostrei para eles que a temporada foi muito boa, fomos campeões mineiros e vice-campeões brasileiros, então, a temporada também pode ser considerada boa. Investi muito nos treinos para que a equipe pudesse fazer uma partida equilibrada e não perdesse o foco", disse.

O fato de que o Atlético-MG jogará a Copa Libertadores pelo quarto ano consecutivo também foi exaltado por Giacomini. Na competição continental, o time será dirigido pelo uruguaio Diego Aguirre, anunciado na semana passada como substituto de Levir. "Uma equipe que tem jogadores jogando em alto nível há muito tempo e vai disputar a Libertadores pela quarta vez seguida, a chance de chegar nas finais é muito grande. Não vi vaidade no grupo, vi um grupo coeso, unido e, com certeza, com o Aguirre pode render muito e fazer uma temporada acima do que foi a de 2015", disse, para depois completar: "O Atlético acertou na contratação do Aguirre pela experiência dele na Libertadores. Vejo 2016, nas mãos do Aguirre, como um ano muito promissor para o Atlético".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAtlético-MGBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.