Interino mantém a filosofia na Ponte

Pela sexta vez consecutiva, um recorde neste campeonato, a Ponte Preta vai defender a liderança do Brasileiro nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, diante do Santos. As circunstâncias, porém, são especiais. Pela primeira vez o time não terá o comando do técnico Oswaldo Alvarez, que acertou com o Verdy Tokyo, do Japão, e será comandado interinamente por Nenê Santana.Mas o clima no último treino era de absoluta normalidade. Enquanto Vadão dava baixa na sua carteira de trabalho na secretaria, Nenê Santana estava todo tranqüilo junto com os jogadores. "A perda do Vadão será assimilada, mas o desafio é manter a mesma união e determinação dos jogadores", disse o técnico interino, que conhece bem o grupo da Ponte. Ele comandou o time por sete meses, passando pelo Campeonato Brasileiro de 2004 e pelas quatro primeiras rodadas do Campeonato Paulista.Enfim, Nenê Santana vai manter a estrutura de trabalho montada pela comissão técnica e diretoria. E só não manterá a mesma formação que venceu o Fluminense, por 2 a 1, porque sofreu algumas baixas. No total, são quatro novidades. Na defesa, Galeano, suspenso, dará lugar a Thiago Matias. Na ala direita, Rissut, que estava suspenso, volta na vaga de Iran, enquanto que no meio-campo, Carlinhos e Éverton, após cumprirem suspensão automática, retornam nos lugares de André Silva e Ângelo, suspensos. Ainda no setor, Luciano Santos será mantido como terceiro volante dentro do esquema 4-5-1 idealizado por Vadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.