Ricardo Duarte/Inter
Ricardo Duarte/Inter

Internacional fica no empate com o Brasil no Beira-Rio pelo Gaúcho

Com o resultado, time colorado permanece na vice-liderança, com 12 pontos, dois a menos do que o rival Grêmio

Redação, Estadão Conteúdo

16 de fevereiro de 2022 | 23h49

No estádio Beira-Rio, com a presença de 9.500 torcedores, o Internacional não conseguiu superar o Brasil de Pelotas e ficou apenas no empate por 1 a 1, nesta quarta-feira à noite pela sétima rodada do Campeonato Gaúcho.

O Internacional abriu o marcador no final do primeiro tempo com Taison, mas sofreu o empate no começo do segundo tempo, gol marcado por Paulo Victor. Após um bom primeiro tempo, o Internacional parou na marcação do Brasil na etapa final.

Com o empate, o Internacional permanece na vice-liderança, com 12 pontos, dois a menos do que o rival Grêmio, que antes tinha perdido por 3 a 1 para o União Frederiquense. O Brasil é o sétimo colocado, com 10 pontos.

Na próxima rodada, o Internacional entra em campo somente na segunda-feira, pela oitava rodada do Campeonato Gaúcho, diante do São José. O Brasil joga no domingo, quando recebe o Ypiranga em Pelotas.

Novo reforço do Inter, o lateral-direito argentino Fabrício Bustos acompanhou a partida da arquibancada. Mas não deve ter aprovado. O primeiro tempo foi movimentado com o Inter comandado as ações. Apesar da maior posse de bola, o Inter criou sua primeira boa chance de gol somente aos 26 minutos, quando Gabriel acionou Maurício, que mandou por cima do gol.

Aos 37 minutos, o volante Gabriel arriscou de fora da área, Marcelo espalmou e Taison completou, mas estava impedido. O Inter abriu o marcador no final, aos 43 minutos. Após cruzamento de Paulo Victor da esquerda, Taison se atirou na bola e mandou para a rede.

Na etapa final, o Brasil precisou de seis minutos apenas para empatar. Marllon cruzou da direita, Paulo Victor se antecipou de Heitor e deixou tudo igual.

Após o empate, a torcida do Internacional começou a pegar no pé dos atletas. O Inter tentou até o final, mas tinha dificuldade em penetrar na defesa do Brasil, que recuou após o empate e abdicou do ataque.

Com dificuldade, Edenílson arriscava em chutes de fora da área e aos 32 levou perigo ao gol do time de Pelotas. Aos 42, D'Alessandro tentou, mas parou no goleiro Marcelo. Muito pouco para quem tinha a obrigação de vencer em casa diante de sua torcida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.