Nabor Goulart/Reuters
Nabor Goulart/Reuters

Internacional ganha no final em sua estreia na Libertadores

Time colorado bate o Emelec no Beira-Rio por 2 a 1 e acaba com o tabu de nunca ter vencido no 1.º jogo

André Rigue, estadao.com.br

23 de fevereiro de 2010 | 23h54

O Inter sofreu para superar a forte marcação do Emelec e triunfar em sua estreia na Copa Libertadores por 2 a 1, na noite desta terça-feira, dentro de um Beira-Rio lotado. A vitória diante dos equatorianos acabou com um negativo tabu para o colorado, que nunca havia triunfado no 1.º jogo na competição sul-americana.

 

Veja também:

LIBERTADORES - tabelaTabela e classificação

ESPECIAL - especialBrasileiros no topo da América

 

Com o sonho de conquistar o bicampeonato da Libertadores (ganhou em 2006), o torcedor colorado chegou otimista ao estádio, disposto a esquecer a eliminação no Campeonato Gaúcho. De atrativo, o Inter ainda contou com a estreia do goleiro argentino Abbondanzieri, contratado para o lugar do inseguro Lauro.

 

Mas o time do técnico Jorge Fossati encontrou muitos problemas. O treinador começou com Taison no banco e optou por Edu como parceiro de Alecsandro no ataque. O esquema tático, porém, acabou travado pela forte marcação do Emelec - muitas vezes violenta, com faltas no meio-campo.

 

Na melhor jogada no primeiro tempo, aos 37 minutos, Bolívar apareceu no ataque para cabecear em cobrança de escanteio - a bola passou perto da trave direita do goleiro Elizaga.

 

Giuliano resumiu em poucas palavras a atuação do Inter no primeiro tempo. "O Emelec veio para marcar. E eles marcaram forte. Não conseguimos penetrar na defesa."

 

Inter (BRA) 2
Abbondanzieri; Bolivar    , Sorondo     e Danilo Silva; Nei (Taison), Sandro, Guiñazu, Giuliano (Andrezinho) e Kléber; Edu (Walter    ) e Alecsandro
Técnico: Jorge Fossati
Emelec (EQU) 1
Elizaga; Achiller, Fleitas e Mariano Mina    ; Pérez    , Pedro Quiñónez, Morante     (José Quiñonez), Valencia (Biglieri) e Quiróz; Rojas e Ayoví (Peirono)
Técnico: Jorge Sampaoli   
Gols: Quiróz, aos 3, Nei, aos 7, e Alecsandro, aos 42 minutos do 2.º tempo

Árbitro: Diego Abal (ARG)

Renda: R$ 821.170,00

Público: 39.304 torcedores

Estádio: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Fossati optou por não fazer alterações no retorno do vestiário e o Inter levou um susto logo aos 3 minutos do segundo tempo. Em bom ataque, Rojas encontrou um buraco na marcação e deixou Quiróz na cara do gol. Ele só teve o trabalho de tirar de Abbondanzieri e marcar o primeiro do jogo.

 

O Beira-Rio por alguns minutos ficou em silêncio e o torcedor do Inter passou a temer pelo pior. Contudo, aos 7 minutos, o lateral-direito Nei marcou um gol lindo. Em chute de fora da área, ele acertou o ângulo direito de Elizaga e estufou as redes: 1 a 1.

 

Após o empate, a chuva despencou em Porto Alegre, o que deixou o jogo mais complicado. Autor do gol, Nei sentiu uma lesão na perna aos 18 minutos e teve de ser substituído. Fossati então colocou Taison.

 

Walter e Andrezinho também entraram no decorrer da etapa final. O Inter tentou pressionar, mas só encontrou o gol da vitória aos 42 minutos do segundo tempo, com Alecsandro, que recebeu passe de Walter para mandar para as redes.

 

"O Inter nunca tinha ganhado na estreia", disse Alecsandro ao SporTV. "Todo mundo lutou e o time está de parabéns."

 

No final, o torcedor colorado abriu um sorriso com os primeiros três pontos no Grupo 5. O Inter, agora, só volta a atuar pela Libertadores no dia 11 de março, em duelo contra outro equatoriano: Deportivo Quito, fora de casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.