Internacional usa derrota como lição para Libertadores

O Internacional foi derrotado pelo Veranópolis por 2 a 1, no último domingo, fora de casa, pelo Campeonato Gaúcho, em um jogo no qual tomou um gol aos 48 minutos do segundo tempo. E a derrota já está sendo usada pelo técnico Celso Roth como uma lição para a equipe que sonha em conquistar, pelo segundo ano seguido, o título da Copa Libertadores da América. A estreia da equipe na competição continental será no próximo dia 16, contra o Emelec, em Guayaquil, no Equador.

AE, Agência Estado

07 de fevereiro de 2011 | 12h55

"Perdemos em dois gols marcados fora do contexto da partida. Tivemos várias chances de gol, mas não marcamos. Iremos rever aspectos táticos, mas é preciso levar em conta que esse recém foi o nosso segundo jogo na temporada. Vamos aprender com essa derrota", disse Celso Roth, lembrando que o Inter foi representado pela sua equipe B nas cinco primeiras rodadas do torneio estadual, já que saiu de férias mais tarde que os outros clubes brasileiros em 2010 por ter disputado o Mundial de Clubes da Fifa em dezembro.

Pelo fato de encarar o Emelec no dia 16, o Inter até já pediu para a Federação Gaúcha antecipar a partida contra o Pelotas, marcada para o próximo domingo, às 17 horas, no Beira-Rio, pela rodada final da fase de classificação. Mas, pelo fato de todos os confrontos da rodada estarem agendados para o mesmo dia e horário para evitar possíveis resultados manipulados, o pedido não deverá ser atendido. Com isso, o Inter deverá voltar a escalar sua equipe B, tendo em vista a desgastante viagem que o time principal fará para o Equador, na próxima segunda-feira.

"Esperávamos bom senso da Federação (Gaúcha), mas agora vamos ter que rever nosso planejamento caso seja mantido (o jogo) no domingo, pois a viagem (para São Paulo, de onde o clube seguirá rumo ao Equador na segunda) está marcada para o mesmo dia do jogo", lamentou Roth após a partida contra o Veranópolis.

A derrota para o Veranópolis também foi citada pelo lateral Nei como alerta para o time antes da estreia diante do Emelec. "Temos que utilizar a derrota como aviso para melhorarmos os aspectos negativos da equipe. Ela pode ajudar na preparação para a Libertadores", disse o jogador.

O vice-presidente de futebol do Internacional, Roberto Siegmann, por sua vez, lamentou a inesperada derrota fora de casa. "Perder é muito ruim. Mas esta é máxima do futebol: quem não faz, leva. Esta foi a segunda partida do retorno das férias, sabíamos que sentiríamos um pouco. Acabamos levando um gol em um grande chute do adversário, e na segunda bola, quase que inexplicavelmente, levamos o segundo. Vamos seguir trabalhando para melhorar o time", afirmou o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.