Jefferson Bernardes/Vipcomm
Jefferson Bernardes/Vipcomm

Internacional vence e garante o terceiro lugar no Mundial de clubes

A goleada não apagou a má imagem deixada pela equipe ao ser eliminada na semi-final

estadão.com.br,

18 de dezembro de 2010 | 13h49

Diferente da estreia do Internacional no Mundial de clubes contra o Mazembe na última terça-feira, 14, o clube brasileiro não teve sustos e venceu o Seongnam Ilhwa por 4 a 2, garantiu a terceira colocação na competição e aplicou a maior goleada de uma equipe em um Mundial.

 

Veja também:

link Internacional vence e garante o terceiro lugar no Mundial de clubes

link Jogadores do Inter valorizam recuperação do time

 

Foi uma outra equipe que entrou em campo, apesar de ter enfrentado um adversário mais fraco, esteve mais solta, tranquila e conseguindo realizar suas ações ofensivas. D'Alessandro, Alecsandro, Tinga e Rafael Sóbis deram o tom ofensivo da partida e sem fazer muito esforço garantiram o terceiro lugar.

 

Os 10 primeiros minutos de jogo foi de muita correira e de pouca objetividade. A torcida do Internacional, que compareceu em peso ao estádio, escolheu os culpados pela eliminação do clube e toda vez que o goleiro Renam e o atacante Alecsandro pegavam na bola eram vaiados pelos torcedores.

 

A partida estava morta, mas em um lateral o Inter conseguiu abrir o marcador. Alecsandro recebeu na lateral da área, partiu para cima do zagueiro coreano e cruzou para que Tinga abrisse o marcador de cabeça. Uma jogada parecida com que aconteceu na partida contra o Mazembe, mas que Rafael Sóbis desperdiçou na ocasião.

 

O gol de Tinga tranquilizou a equipe e os torcedores, que ainda estavam assombrados com o fantasma da equipe do Congo. O time gaúcho passou a ditar o ritmo da partida e D'Alessandro começou a comandar as ações no meio de campo. Aos 25 serviu Alecsandro, que desperdiçou a chance de ampliar, mas dois minutos depois o argentino serviu novamente o atacante, que não perdoou e marcou o segundo. Alecsandro recebeu livre de marcação e completou para o fundo das redes sul-coreanas.

 

O caminho dos brasileiros ficou ainda mais fácil quando o árbitro da partida expulsou Jang Suk-Won aos 30. O zagueiro sul-coreano, que pouco tempo antes havia recebido cartão amarelo por uma falta dura em Tinga, parou novamente o jogador colorado com uma violência fora do normal e deixou sua equipe com um homem a menos.

 

Com 2 a 0 no placar e um homem a mais em campo, o Inter, que já não encontrava nenhuma dificuldade na partida, continuou a pressionar os sul-coreanos e não encontrou barreiras para ampliar o marcador na segunda etapa.

 

Primeiro foi com o argentino Andrés D'Alessandro, um dos melhores jogadores do Inter nesta partida, e que no duelo contra o Mazembe não esteve muito bem. O meia recebeu de Rafael Sóbis e arriscou de primeira, com categoria, para marcar um golaço de fora de área.

 

Depois apareceu novamente o atacante Alecsandro. Nei colocou a bola na área, Tinga furou e Alecsandro, livre de marcação, ampliou o marcador . O Seongnam se aproveitou de um cochilo no final da partida e descontou com o colombiano Molina por duas vezes. O jogador saiu na cara do goleiro colorado e com categoria colocou a bola no fundo da rede. E já nos acréscimos o colombiano apareceu novamente para marcar o segundo da equipe.

 

Homenagem. O goleiro multi-campeão argentino com o Boca Juniors, Pato Abbondanzieri, que fazia sua última partida como jogador profissional, recebeu uma bela homenagem do treinador Celso Roth ao entrar em campo no final da partida e se despedir do futebol dentro das quatro linhas.

 

Internacional - 4 - Renan (Abbondanzieri), Nei, Índio, Bolívar e Kleber; Guiñazu, Wilson Matias (Andrezinho), Tinga e D'Alessandro, Rafael Sobis (Giuliano) e Alecsandro. Treinador: Celso Roth

 

Seongnam - 2 - Jung Sung-Ryong, Ko Jae-Sung, Yun Young-Sun,Kim Sung-Hwan, Hong Chul, Jo Jae-Cheol, Jang Suk-Won, Molina, Song Ho-Young (Radoncic) (Kim Jin-Ryong) (Cheon Kwang-Jin), Choi Sung-Kuk, Cho Dong-Geon. Treinador: Shin Tae-Yong

 

Gols: No primeiro tempo, Tinga, aos 15 minutos, e Alecsandro, aos 27. No segundo,  D'Alesandro, aos 7,  Alecsandro aos 25, Molina aos 38 e aos 47.  Estádio: Bin Zayed Sports, em Abu Dhabi (EAU). Data: 18 de dezembro Árbitro: Michael Hester (Nova Zelândia). Auxiliares: Jan Hendrik Hintz (Nova Zelândia) e Tevita Makasini (Togo).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.