Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Internado com covid-19, Luxemburgo apresenta quadro estável e não tem previsão de alta

Técnico de 68 anos apresentava quadro moderado da doença quando deu entrada no hospital Sírio Libanês

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2020 | 12h45

O técnico Vanderlei Luxemburgo apresenta quadro clínico estável após ser internado no Hospital Sírio Libanês com quadro moderado de covid-19. Segundo boletim médico divulgado nesta terça-feira, o treinador de 68 anos recebeu medicação e por enquanto não precisou ser submetido a tratamento com oxigênio para melhorar o sistema respiratório. De acordo com os médicos responsáveis pelo atendimento, o paciente ainda não previsão de alta.

O treinador de 68 anos foi internado após sentir fortes dores de cabeça e pelo corpo quando estava no Rio de Janeiro. Após retornar para São Paulo, ele foi levado ao hospital ainda na sexta-feira. Segundo pessoas próximas, Luxemburgo apresentou alguns sinais de melhora nesta terça-feira, com a estabilização da febre. Em julho, quando ainda dirigia o Palmeiras, o técnico também foi diagnosticado com o novo coronavírus, porém teve quadro assintomático.

"Ele (Vanderlei Luxemburgo) foi medicado e seu estado clínico é estável, sem necessidade de oxigenoterapia. O paciente deverá permanecer internado, sem previsão de alta, e está sendo acompanhado pela equipe médica coordenada pelo Prof. Dr. Esper Kallas", disse em nota o hospital. Luxemburgo está sem clube desde que foi demitido do Palmeiras em outubro. O clube trouxe o português Abel Ferreira para a vaga.

Segundo o Ministério da Saúde, só pode ser considerado um caso de reinfecção caso o paciente apresente dois testes positivos para covid-19 em tempo real em exames de RT-PCR. Além disso, o diagnóstico positivo deve ter intervalo igual ou superior a 90 dias entre os dois episódios, independentemente da condição clínica da pessoa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.