Carl de Souza/AFP
Carl de Souza/AFP

Internado, papa Francisco mostra alegria por títulos de Argentina e Itália

Em recuperação de uma cirurgia, pontífice ressalta valores do esporte ao celebrar os títulos da Copa América e da Eurocopa

Redação, Estadão Conteúdo

12 de julho de 2021 | 11h32

Internado desde o último dia 4 no Hospital Policlínico Agostino Gemelli, em Roma, para se recuperar de uma cirurgia no cólon, o papa Francisco expressou nesta segunda-feira a sua alegria com os títulos conquistados neste fim de semana pela Argentina, na Copa América, e pela Itália, na Eurocopa.

Segundo o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, o líder da Igreja Católica "compartilhou a alegria pela vitória das seleções argentina e italiana com as pessoas que lhe estão próximas" e ressaltou o "significado do esporte e de seus valores", especialmente a "capacidade esportiva de aceitar a derrota". "Apenas assim, diante das dificuldades da vida, é possível estar sempre em jogo, lutando sem se render, com esperança e confiança", disse o papa Francisco, segundo Bruni em comunicado oficial do Vaticano.

Fã de futebol, Jorge Bergoglio é torcedor do San Lorenzo, um dos times mais tradicionais da Argentina. O Vaticano, no entanto, não informou se o papa Francisco assistiu às finais da Copa América e da Eurocopa no hospital. Francisco celebrou uma missa neste domingo, de uma sacada do hospital, e agradeceu as orações dos fiéis. "Senti profundamente proximidade e o apoio das vossas orações. Obrigado do fundo do meu coração!”

A Argentina foi campeã no último sábado ao derrotar o Brasil por 1 a 0, em pleno estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, interrompendo um jejum de 28 anos. Já a Itália conquistou a Eurocopa pela segunda vez em sua história ao vencer a Inglaterra na disputa por pênaltis no estádio de Wembley, em Londres, no domingo.

O papa Francisco está internado devido a uma cirurgia para corrigir uma estenose diverticular do cólon, estreitamento causado pelo surgimento de pequenas bolsas chamadas divertículos nessa parte do intestino grosso. A previsão inicial era de que ficaria hospitalizado durante uma semana, mas o Vaticano confirmou que a internação vai se estender por "mais alguns dias", a fim de "otimizar o tratamento médico e a reabilitação".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.