Amanda Perobelli / Reuters
Amanda Perobelli / Reuters

Internado por covid-19, Luxemburgo revela em vídeo que teve falta de ar

Técnico de 68 anos tenta se recuperar da doença e conta que tem sentido muito cansaço

Redação, Estadão Conteúdo

16 de dezembro de 2020 | 16h41

Internado por covid-19 no Hospital Sírio-Libanês, o técnico Vanderlei Luxemburgo revelou nesta quarta-feira ter sofrido falta de ar na noite de terça. Mas garantiu estar melhor. O hospital não divulgou nesta quarta novo boletim médico sobre a situação do ex-treinador do Palmeiras.

"Bom dia, galera! Faltou um pouco de ar ontem à noite, mas depois voltou. Mas estou bem, fiz a barba, (para não) ficar com aspecto ruim. Acordei bem melhor hoje, nem fui medicado ainda. Só não tomei café, estou um pouco cansado. Tchau. Beijo!", disse Luxemburgo, em vídeo. Durante a gravação, feita por ele mesmo, o técnico teve um ligeiro acesso de tosse.

O treinador de 68 anos foi internado após sentir fortes dores na cabeça e no corpo quando estava no Rio de Janeiro. Após retornar para São Paulo, ele foi levado ao hospital ainda na sexta-feira. Segundo pessoas próximas, Luxemburgo apresentou alguns sinais de melhora nesta terça-feira, com a estabilização da febre.

De acordo com boletim médico divulgado na terça-feira, pelo hospital, Luxemburgo ainda não tem previsão de alta. Em julho, quando ainda era o técnico do Palmeiras, ele também foi diagnosticado com o novo coronavírus, porém apresentou quadro sem sintomas.

"Ele (Vanderlei Luxemburgo) foi medicado e seu estado clínico é estável, sem necessidade de oxigenoterapia. O paciente deverá permanecer internado, sem previsão de alta, e está sendo acompanhado pela equipe médica coordenada pelo Prof. Dr. Esper Kallas", disse em nota o hospital, na terça. Luxemburgo está sem clube desde que foi demitido do Palmeiras em outubro. O clube trouxe o português Abel Ferreira para a vaga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.