Divulgação
Divulgação

International Board confirma de maneira definitiva as cinco substituições no futebol

Mudança na regra foi anunciada pelo órgão nesta segunda-feira, durante a 136ª Assembleia Geral Anual, em Doha; aumento do banco de reservas também é confirmado, e impedimento semiautomático é debatido para a Copa

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2022 | 10h42

A International Board (IFAB, sigla em inglês), órgão responsável por determinar as regras do futebol, anunciou nesta segunda-feira, dia 13, que as cinco substituições para cada equipe durante os jogos serão permanentes. A medida passa a valer a partir do dia 1º de julho. Ele nasceu durante a pandemia da covid-19.

A mudança na quantidade de alterações nas partidas foi anunciada pela IFAB durante a 136ª Assembleia Geral Anual, em Doha, no Catar, sede da Copa do Mundo. Gianni Infantino, presidente da entidade máxima do futebol, disse, porém, que a regra não está confirmada para o Mundial deste ano. 

O aumento de três para cinco alterações passou a valer em 2020, quando a pandemia da covid-19 eclodiu e os calendários foram adaptados com um grande número de jogos para compensar os meses de confinamento. Em outubro do ano passado, integrantes da IFAB deram a opção para as ligas aprovarem ou não a mudança.

Foi uma época também em que os clubes tiveram de enfrentar muitas baixas de jogadores contaminados pela doença e impedidos de atuar. No Brasil, times chegaram a ter mais de 18 jogadores infectados. A recomendação sempre foi o isolamento. Os clubes passaram a fazer exames constantemente durante a semana. 

A medida da Fifa já havia sido prorrogada até 31 de dezembro deste ano após "análise global do impacto atual da covid no futebol", segundo a entidade. A Premier League, responsável por organizar o Campeonato Inglês, havia voltado a aplicar somente as três alterações, mas já havia confirmado a volta das cinco mudanças na temporada 2022/23. No Brasileirão, as cinco mudanças ainda estão em vigor para os treinadores durante os jogos. 

Anteriormente, a International Board já havia autorizado o aumento de 23 para 26 atletas a serem relacionados para uma partida, aumentando o número máximo de reservas de 12 para 15. Com a mudança, os técnicos das seleções poderão convocar 26 jogadores, e não mais 23, para a Copa do Catar. 

Impedimento semiautomático

Outro ponto debatido na assembleia em Doha é a aplicação da detecção semiautomática do impedimento, que a Fifa planeja adotar a partir da Copa do Catar — quatro anos após o VAR, assistente de vídeo, dar as caras no Mundial da Rússia. De acordo com Infantino, a avaliação da tecnologia "continua" e é "muito satisfatória" até o momento. 

"Nossos especialistas vão examinar antes de decidir se utilizaremos ou não no Mundial", comentou Infantino. O ex-árbitro Pierluigi Collina, responsável pelo apito no jogo do pentacampeoanto da seleção, em 2002, e atualmente no cargo de presidente da Comissão de Árbitros da Fifa, declarou ter "confiança" sobre o uso da tecnologia na Copa.

A adoção da marcação semiautomática de impedimentos tem como objetivo dar mais agilidade às partidas e diminuir o tempo de checagem do VAR. O sistema é baseado em câmeras usadas para exibição das partidas na televisão, assim como em câmeras específicas, que determinam a posição exata dos jogadores no gramado, permitindo assinalar de maneira mais ágil qualquer irregularidade. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.