Intérprete de Felipão é detido após confusão em jogo

O Bunyodkor, time do Usbequistão onde trabalha o técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari, se envolveu em um incidente diplomático na quarta-feira. O brasileiro Marcelo, que é o tradutor de Felipão, agrediu o quarto árbitro depois de ser ofendido por declarações racistas, ao final do empate com o Al-Ittihad, em Jedah, na Arábia Saudita, pela Liga dos Campeões da Ásia. O intérprete ficou detido em uma delegacia local, enquanto o Itamaraty e a Fifa já foram acionados.

JAMIL CHADE, Agência Estado

15 de abril de 2010 | 12h23

O intérprete reclamou ao final da partida de que o árbitro não permitiu que um dos jogadores do Bunyodkor voltasse à campo, depois de ser atendido pela equipe médica. O assistente da arbitragem, então, teria dito que não falaria com "macaco" - Marcelo é negro. Depois disso, começou a confusão.

Marcelo, que é natural de Recife, deu um chute no assistente do árbitro e teve de deixar o campo cercado por policiais. Foi levado para uma delegacia em Jedah e passou a noite em uma sala sem cama, dormindo apenas sobre um tapete. Enquanto isso, a delegação do Bunyodkor foi liberada para voltar ao Usbequistão.

Felipão queria continuar em Jedah, para não abandonar o intérprete. Mas, como o visto dado pelos árabes terminava naquele dia mesmo e não foi renovado, ele foi obrigado a voltar para o Usbequistão. Dois dirigentes do Bunyodkor, no entanto, permaneceram na cidade, enquanto a embaixada do Brasil já enviou diplomatas para negociar a saída de Marcelo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFelipãoBunyodkor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.