Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Invasão de torcedor preocupa Gobbi no Corinthians

Presidente lembrou do ano passado, quando o time perdeu mandos de campo

Vítor Marques , Agência Estado

19 de janeiro de 2014 | 21h04

SÃO PAULO - A torcida do Corinthians marcou presença no primeiro jogo do ano mesmo como visitante e levou bom público ao Canindé (8.278 pagantes). Mas um fato isolado, a invasão de campo de um torcedor após o gol de Guilherme, deixou o Corinthians preocupado.

O presidente Mário Gobbi, pela primeira vez, bateu pesado nesse tipo de atitude. Ele disse que o Corinthians, ano passado, pagou muito caro por atos irresponsáveis, tendo que jogar fora de casa, e que isso fez o clube perder receitas. "Faço um apelo ao torcedor que venha ao jogo e fique em seu local, não pode ser levado pela emoção, invadir campo, atirar objetos. Isso está prejudicando o clube", afirmou Gobbi, no intervalo da partida, à Rádio Jovem Pan.

Em 2013, por causa de uma confusão de torcedores no Mané Garrincha, o time perdeu quatro mandos no Campeonato Brasileiro. Na Libertadores, chegou a jogar sem torcida por causa da morte do jovem Kevin Espada. E o próximo jogo do time no como mandante no Paulistão será disputado em Americana, quarta-feira, porque a torcida usou sinalizadores na Vila Belmiro, na final contra o Santos, ano passado.

"Perdemos algo entre R$ 1,5 milhão por jogo, essa é a dimensão do prejuízo aos cofres do clube", disse o presidente. "É um desserviço. Quem faz isso não é corintiano, espero que esta tenha sido a última vez."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansMário Gobbi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.