Invasores do CT do São Paulo pagam R$ 7,3 mil para cobrir prejuízos, mas reclamam da conta

Torcedores pedem que o clube mostre notas fiscais

O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2016 | 11h14

Os torcedores que participaram da invasão ao CT do São Paulo, na Barra Funda, no dia 27 de agosto e foram indiciados pela Justiça depositaram em juízo R$ 7,3 mil reais para cobrir os prejuízos do clube. O São Paulo alega que os invasores quebraram o portão do centro de treinamento e roubaram bolas, uniformes e um cooler de isotônico. As informações são do portal UOL.

Os invasores depositaram R$ 7,3 mil, mas questionam a conta apresentada pelo São Paulo. Alegam que o clube não apresentou provas do prejuízo e, por isso, pedem que  notas fiscais. Para os torcedores, apenas R$ 2 mil deve ser liberado para o clube. Os torcedores tiveram as suas contas bancárias congeladas pela Justiça e só conseguiram a liberação depois do depósito.

No dia 27 de agosto, membros de torcidas organizadas invadiram o CT e paralisaram o treino após o time perder por 2 a 1 para o Juventude na Copa do Brasil. Os jogadores Michel Bastos e Wesley foram agredidos durante a invasão. Os atletas estavam no meio do campo e não tiveram tempo de voltar para os vestiários.

Somente depois de 30 minutos é que a equipe de segurança conseguiu remover a torcida de um dos campos, mas o protesto continuou do lado de fora do CT. A diretoria do São Paulo condenou e afirmou que o ato foi uma “manobra de pessoas interessadas em desestabilizar” o time.

Mais conteúdo sobre:
Campeonato Brasileiro Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.