Investigação não preocupa Ronaldinho

Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Roberto de Assis, que também é seu procurador, terão de explicar à Justiça francesa a origem de mais de US$ 11 milhões que teriam recebido em 2001, em uma conta bancária na Suíça, quando o jogador brasileiro passou pelo Paris Saint-Germain. Mas ele não parece estar muito preocupado com isso."Fiquei sabendo disso agora, faz dois minutos (na tarde desta quinta-feira), e não há nenhum problema. Se me chamarem para depor, irei normalmente", avisou Ronaldinho Gaúcho, que está treinando com a seleção brasileira na Granja Comary, em Teresópolis. Ao comentar sobre a saída de Sandro Rosell, dirigente do Barcelona que o contratou, Ronaldinho Gaúcho parece ter ficado mais abalado. "Fico triste, quero saber o que aconteceu, sempre tivemos ótimo relacionamento, vou telefonar para ele", revelou o jogador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.