Investigado, Breno nega responsabilidade por incêndio

Investigado pela polícia alemã, o zagueiro Breno rejeitou a suspeita de que teria provocado o incêndio que destruiu sua casa em Munique, na madrugada de terça-feira. O jogador do Bayern avisou que se colocará à disposição das autoridades nos próximos dias.

AE, Agência Estado

24 de setembro de 2011 | 07h59

Breno, de 21 anos, se manifestou sobre a suspeita por meio de nota, divulgada pelo Grupo Sonda, que administra sua carreira. "O jogador Breno declara que são infundadas as suspeitas sobre a autoria do incêndio que destruiu sua casa", diz o comunicado. "O jogador está à disposição das autoridades alemãs. Recupera-se do acidente e em breve retomará sua atividade normalmente".

O jogador, que era o único dentro da casa no momento do incêndio, escapar sem grandes ferimentos, mas chegou a ser levado ao hospital por ter inalado muita fumaça. Sua esposa, Renata, e seus três filhos não estavam em casa. A família foi acolhida na casa do lateral brasileiro Rafinha, que também joga no Bayern.

A casa de Breno ficou destruída. O prejuízo é calculado em 1 milhão (R$ 2,48 milhões). Na sexta-feira, o procurador Thomaz Steinkraus-Koch levantou a tese de incêndio intencional. "Vamos confrontar Breno com novos fatos para que ele tenha a possibilidade de se defender e dar a sua versão", disse Steinkraus-Koch. "Mas quero deixar claro que também continuamos trabalhando com a hipótese de um acidente".

Depois do anúncio do procurador, o Bayern de Munique divulgou nota de apoio ao ex-jogador do São Paulo. O clube alemão aconselhou Breno a procurar ajuda de um psicólogo. Recentemente, o jornal Bild informou que Breno e sua família estavam procurando nova residência em Munique.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrenoincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.