Bruno Haddad/Divulgação
Bruno Haddad/Divulgação

Invicto, Botafogo pega Fluminense e espera disparar no topo

Tricolor está pressionado na terceira colocação e precisa de vitória

RONALD LINCOLN JR., O Estado de S. Paulo

08 Março 2015 | 08h33

Em momentos diferentes, Botafogo e Fluminense medem forças às 18h30 deste domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Carioca. O time alvinegro quer se manter invicto na competição e se isolar ainda mais na liderança. A equipe tricolor, por sua vez, está pressionada na terceira colocação e uma vitória será fundamental para melhorar o ambiente nas Laranjeiras.

O Fluminense já perdeu duas partidas nesta competição - uma delas para o Vasco - e seu desempenho ainda não convenceu. "Temos de ter equilíbrio, saber suportar", afirmou o técnico Cristóvão Borges, que ficaria em situação delicada em caso de novo revés. "Essas coisas até me motivam", disse, minimizando a pressão sobre si.

O treinador vai apostar em um time ofensivo para superar o Botafogo, com destaque para o meia Gérson, que está conquistando o comandante e a torcida. "Ele vai se sair bem. Tem 17 anos, mas parece ter 30. Se comporta de forma madura, e sua qualidade técnica é importante para o time. É talentoso, joga com alegria."

Apesar do bom retrospecto até aqui, o técnico René Simões negou que o Botafogo seja favorito. "Não concordo que o Botafogo é o time a ser batido, isso é historinha para aumentar a tranquilidade aqui, deixar o clima muito ameno. Mas estamos sempre preocupados", ressaltou.

René avisou que seu time vai tentar se impor. "Contra o Fluminense, eu quero propor o jogo. Óbvio que não quero me espelhar no Fluminense, temos uma forma de jogar e vamos fazer o que for preciso", avisou.

A principal mudança na escalação do Botafogo em relação ao último jogo é a entrada do meia Gegê na vaga de Diego Jardel. A equipe botafoguense chegará ao clássico com um retrospecto de seis vitórias e um empate em sete partidas disputadas até aqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.