Ricardo Duarte/Internacional
Ricardo Duarte/Internacional

Invicto em casa diante do Nacional-URU, Inter busca confirmar vaga nas quartas

Equipe brasileira leva vantagem no confronto com os uruguaios

Pery Negreiros, especial para AE, Estadão Conteúdo

31 de julho de 2019 | 08h06

Para passar pelo Nacional, do Uruguai, nesta quarta-feira, às 19h15, no Beira-Rio, e alcançar as quartas de final da Copa Libertadores, o Internacional só precisa fazer o que sempre fez diante do rival uruguaio em casa: não perder.

Ao todo, Inter e Nacional já se enfrentaram nove vezes pela Copa Libertadores, com boa vantagem dos brasileiros: são quatro vitórias gaúchas contra duas da equipe de Montevidéu, além de três empates. O detalhe é que o Inter nunca perdeu para o adversário em seus domínios pelo torneio e sequer tomou gol.

No encontro válido pelas oitavas de final de 2019, a vantagem obtida na semana passada em Montevidéu com a vitória por 1 a 0 faz com que o clube gaúcho necessite apenas de um empate para avançar. Foi o mínimo que o time comandado por Odair Hellmann conseguiu em seus domínios desde a derrota para o Novo Hamburgo, pelo Campeonato Gaúcho, em 27 de março deste ano. Desde então, está invicto no Beira-Rio.

De lá para cá, sediou 13 jogos, entre Estadual, Copa do Brasil, Libertadores e Campeonato Brasileiro, com dez vitórias e três empates, com 25 gols marcados e nove sofridos.

Para o volante Patrick, porém, a possibilidade de sair de campo classificado sem precisar vencer não deve ser considerada. "Tem que entrar concentrado no jogo. Tirar da cabeça que a gente tem a vantagem do empate. Isso pode ser prejudicial para a gente. A gente tem que fazer nosso jogo e com certeza vai jogar para vencer", projeta.

Patrick prefere apostar na iniciativa de sua equipe para que o confronto não fique à feição dos uruguaios. "A equipe do Nacional tem uma marcação aguerrida. A gente tem que igualar essa disputa e fazer o que vem fazendo de melhor no Beira-Rio. Lutar, mostrar intensidade", concluiu o camisa 88.

Se por acaso as coisas saírem do controle e uma derrota de 1 a 0 for devolvida pelos uruguaios nesta quarta-feira, a equipe de Odair Hellmann se mostrou precavida na última atividade antes do embate, nesta terça-feira, no CT Parque Gigante. A equipe tratou de treinar penalidades máximas. Foi desta maneira que o Inter se classificou às semifinais da Copa do Brasil, batendo o Palmeiras.

Na escalação, o treinador só não contará com o volante Rodrigo Moreno e os zagueiros Roberto e Emerson Santos, todos considerados reservas, que ainda se recuperam de lesões. No mais, o time deve ser o mesmo que trouxe a vantagem do Estádio Parque Central, construída com gol de Paolo Guerrero no fim do jogo.

E o Inter enfrentará o Nacional um dia depois de o ídolo D'Alessandro ter completado 11 anos atuando pelo time gaúcho. "É um dia especial, emotivo. Passa um filme na minha cabeça desde o primeiro dia que cheguei aqui. É um momento único para mim, para minha família e para minha carreira. Me sinto privilegiado. Muito orgulho e honra de ter vestido essa camisa", afirmou o camisa 10, em entrevista coletiva nesta terça.

Já no Nacional, que vem de vitória pelo Campeonato Uruguaio no fim de semana por 4 a 2 com um time misto diante do Progreso, o técnico Álvaro Gutiérrez tem suas dúvidas para o confronto desta quarta-feira.

No gol, Luis Mejía, que esteve fora em Montevidéu e ainda sofre com uma dor nas costas, é dúvida novamente e pode ser substituído por Sergio Rochet. Já o lateral-direito Cotugno se machucou na partida de ida e também pode ser desfalque para a entrada de Laborda. Na frente, Barrientos e Lorenzetti disputam vaga para compor ataque ao lado do argentino Gonzalo Bergessio.

"Vai ser um jogo muito duro, sabendo que deixamos escapar a vitória em casa. Temos a necessidade de marcar um gol, mas não de sair para o ataque feito loucos", adiantou Álvaro Gutiérrez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.