Divulgação/Vipcomm
Divulgação/Vipcomm

Ipatinga surpreende, derruba Cruzeiro e vai à final

No Mineirão, clube ganha por 3 a 1 e agora disputa o título estadual diante do Atlético Mineiro

BRUNO MARQUES, Agência Estado

18 de abril de 2010 | 18h19

O Cruzeiro perdeu para o Ipatinga, por 3 a 1, na tarde deste domingo, no Mineirão, e está fora da final do Campeonato Mineiro. A equipe visitante, que não perdeu nenhum dos três jogos que disputou contra o Cruzeiro neste ano, fará a final contra o Atlético, que garantiu vaga ao superar o Democrata, de Governador Valadares. Será a primeira vez que Atlético e Ipatinga farão uma final do estadual.

Com o time mais ajustado, o Ipatinga foi melhor durante todo o jogo. Ainda no primeiro tempo, a equipe do Vale do Aço chegou a acertar a bola na trave e exigir importantes defesas do goleiro Fábio. O time ainda foi para o vestiário reclamando de dois pênaltis que não foram marcados pelo árbitro Ricardo Marques.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Adilson Batista fez substituições, tentando acertar o time, mas o Cruzeiro continuou não conseguindo encontrar a fórmula do ataque. Nos primeiros minutos da etapa complementar, os donos da casa tiveram uma excelente oportunidade com Wellington Paulista, que desperdiçou uma finalização na pequena área.

Daí para frente, só deu Ipatinga. Aos 15 minutos, Danilo Dias recebeu bom passe de Francismar. O atacante ficou cara a cara com o arqueiro cruzeirense e não perdoou, abrindo o placar da partida.

Quatro minutos depois, Francismar e Donizete Marinho fizeram boa troca de passes e deixaram novamente Danilo Dias de frente para o gol de Fábio. Ele não perdoou e anotou o segundo do Ipatinga.

Logo após o gol, o zagueiro Thiago Heleno recebeu o segundo amarelo e deixou o Cruzeiro com um a menos em campo, facilitando a vida dod visitantes. O terceiro gol foi questão de tempo. Alessandro recebeu passe vindo da direita, na altura da marca do pênalti, levantou a bola com categoria e chutou forte no ângulo de Fábio, selando a classificação para a final.

Após o gol, o atacante Alessandro, ex-jogador do Cruzeiro, que saiu do clube brigado com o técnico Adilson Batista, fez gestos obscenos para a torcida e foi expulso. O atleta, que já tinha recebido o terceiro cartão amarelo e que estava suspenso do primeiro jogo da final, agora também não disputará a grande decisão contra o Atlético.

Aos 43 minutos, em jogada de ataque do Cruzeiro, Max Carrasco, do Ipatinga, colocou a mão na bola, dentro da área, e foi expulso. Wellington Paulista cobrou o pênalti com força e descontou para os anfitriões, que não tiveram tempo para buscar o empate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.