Vahid Salemi / AP
Vahid Salemi / AP

Irã vai permitir que mulheres assistam jogos da seleção em estádios

Medida vem depois de uma torcedora atear fogo no próprio corpo e se matar; Sahar Khodayari foi condenada por acompanhar partida disfarçada de homem

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2019 | 11h59

Mulheres iranianas poderão entrar em estádios do país para assistir a partidas da seleção masculina de futebol, anunciou nesta quinta-feira, o Ministério do Esporte de Teerã. "Todas as preparações necessárias foram feitas de maneira que as mulheres, inicialmente permitidas somente em partidas internacionais, possam entrar nos estádios de futebol", anunciou, em nota, o ministro Masoud Soltanifar. 

No Estádio Azadi, na capital do Irã, onde ocorrerão no mês que vem partidas classificatórias para a Copa do Mundo de 2022, no Catar, foram criadas entradas separadas para homens e mulheres, além de adaptações dentro dos banheiros. As autoridades também reforçarão a segurança para a circulação das torcedoras na arenas. O Irã estava na Copa do Mundo da Rússia. 

A primeira partida a ser disputada no Azadi com a presença de mulheres iranianas está marcada para 10 de outubro, com a seleção do país enfrentando o Camboja.

A medida de liberação das mulheres no futebol ocorre após a morte da torcedora Sahar Khodayari, que ateou fogo ao próprio corpo em protesto contra o veto à entrada de mulheres em estádios do Irã. Ela queria assistir aos jogos do seu time, o Esteghlal, e chegou a ser condenada pela justiça local por tentar entrar em uma partida disfarçada de homem.

O governo moderado do presidente Hassan Rohani já tinha mostrado abertura para esse tema, apesar das restrições defendidas pela ala xiita mais conservadora do Irã. A Fifa também já fez vários apelos para que o Irã revisasse sua política e permitisse o ingresso de mulheres em estádios. A entidade máxima do futebol chegou a ameaçar o país pela proibição de acesso, colocando em risco a participação do Irã do próximo Mundial de Futebol.

Desde a Revolução Iraniana de 1979, as mulheres são impedidas de entrar em estádios de futebol do país. /Com informações da Agência Ansa

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.