Irônico, Valdivia nega que tenha forçado receber o terceiro cartão amarelo

Meia é suspenso e liberado do próximo jogo, embarca para a Alemanha para defender a seleção chilena

Agência Estado

27 de fevereiro de 2014 | 21h37

SÃO PAULO - Quem estava com saudade das polêmicas de Valdivia, elas voltaram. Nesta quinta-feira até o mais ingênuo torcedor do Palmeiras sabia que meia tomaria um cartão amarelo no fim do jogo contra o São Bernardo, o terceiro dele no Campeonato Paulista. Suspenso, não vai pegar a Portuguesa, quinta-feira que vem. Na quarta, o chileno jogará pela sua seleção na Alemanha.

Ao sair do gramado, porém, Valdivia foi irônico para negar que tenha forçado o amarelo, levado por uma falta em Eduardo aos 40 minutos do segundo tempo. Questionado sobre a suspensão em boa hora, tirou sarro do repórter: "Você pensou quanto para fazer essa pergunta?".

Depois, questionado sobre a falta no campo de ataque, questionou o jornalista novamente: "Não pode fazer falta?", perguntou, com um sorriso malicioso. Após um silêncio constrangedor, a mini-coletiva continuou na entrada dos vestiários. Até que o tema voltou à pauta.

Desta vez o repórter questionou se Valdivia havia recebido qualquer orientação de Gilson Kleina, antes do jogo, para que recebesse o terceiro amarelo. O chileno foi sucinto: "Não". Depois, repetiu: "Não". O sorriso não saiu do canto do lábio.

Na Série B do ano passado, Valdivia foi suspenso por dois jogos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por forçar o terceiro amarelo num jogo contra o Paraná, no Pacaembu. Na ocasião, foi julgado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva - assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.