Irritado, Celso Roth imita Scolari

Celso Roth e Luiz Felipe Scolari têm estilos parecidos, gostam de adotar a chamada linha-dura, mas no comportamento do dia-a-dia tinham suas diferenças. Após a vitória do Palmeiras sobre o São Caetano e hoje, porém, Roth parecia uma caricatura do colega no tratamento com a imprensa. Ele não gostou nada das notícias veiculadas, nos últimos dias, em jornais, rádio e televisão de que poderia deixar o clube em caso de derrota na Libertadores. Respondia às perguntas com monossílabas e não fazia questão de demonstrar bom humor, exatamente como fazia Scolari nos tempos difíceis de Palmeiras. Roth se abateu com as críticas da torcida nas últimas semanas, mas após a classificação na competição sul-americana mostrou um certo alívio. "Os torcedores foram ótimos, apoiaram o time contra o São Caetano." O treinador, no entanto, novamente foi chamado de burro. O presidente Mustafá Contursi procurar mostrar-se do seu lado neste momento complicado. Hoje, afirmou que em nenhum momento contatou algum técnico para seu lugar. "É um absurdo, nunca falamos com o Wanderley (Luxemburgo)", afirmou. "Não podemos tomar medidas de acordo com a pressão da torcida." Curiosamente, Roth fará um duelo com o seu amigo Scolari na próxima fase da Libertadores, embora não goste do rótulo. "Não vamos enfrentar o Felipão, mas o time do Cruzeiro." O goleiro Marcos considera os rivais favoritos. A disputa por uma vaga nas semifinais começará na próxima quarta-feira. Mustafá ligou hoje para o diretor de Futebol Américo Faria para providenciar a colocação de um gerador de energia no Palestra Itália para que a partida possa ser realizada à noite. O segundo confronto será no dia 30, no Mineirão. No ano passado, o Palmeiras eliminou o Cruzeiro, já dirigido por Scolari, na Copa Mercosul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.