Reprodução/Guarani Facebook
Reprodução/Guarani Facebook

Irritado com derrota no clássico, presidente do Guarani demite Osmar Loss

'Foi uma derrota vergonhosa. Vergonhosa!', declarou Palmeron Mendes Filho em tom ríspido

Redação, Estadão Conteúdo

16 de março de 2019 | 22h14

Osmar Loss não é mais técnico do Guarani. Após a derrota por 3 a 0 para a Ponte Preta no 193º clássico entre os clubes, neste sábado, o presidente Palmeron Mendes Filho se reuniu com os membros do Conselho de Administração ainda no vestiário do estádio Moisés Lucarelli e demitiu o treinador de 43 anos. Ele deixa o clube com quatro vitórias, dois empates e seis derrotas, eliminações precoces na Copa do Brasil e no Campeonato Paulista, além do duro revés contra o rival.

"Fizemos uma rápida reunião agora, todo o Conselho de Administração, o pessoal de futebol, e infelizmente acabou o ciclo de Osmar Loss. Precisamos começar o projeto para a Série B, com um técnico que tenha este perfil. Foi uma derrota vergonhosa. Vergonhosa! Está na hora de mudança e na quarta-feira o Marco Antônio assume como interino. Vamos buscar um novo nome no mercado", avaliou o presidente em tom ríspido e visivelmente irritado.

A Série B do Campeonato Brasileiro já teve tabela básica divulgada pela CBF e começará na segunda quinzena de abril. A estreia será contra o Figueirense, no Brinco de Ouro. "O nosso objetivo do ano é o acesso pra Série A. Esse era o momento para a troca de treinador. O Guarani não pode estacionar nos 14 pontos, tinha que estar batendo nos 20 pontos. O Loss se dedicou muito, mas não conseguiu atingir a meta do trabalho", completou Palmeron, avaliando o trabalho do treinador demitido.

Com a derrota fora de casa, o Guarani segue com 14 pontos e está eliminado de forma precoce no Grupo B, já que o Novorizontino tem 19 e o Palmeiras 22, faltando apenas uma rodada para o fim da primeira fase. Na próxima quarta-feira, às 21h30, o time enfrenta o Red Bull Brasil no Brinco de Ouro com Marco Antônio como técnico interino.

PONTE CELEBRA

Do outro lado, a alegria era geral na Ponte Preta. Jorginho ficou muito satisfeito com a vitória. "Eu conversei com os jogadores no intervalo que não era mais para a gente tomar gol na volta do intervalo. Eu pedi para eles e deu certo, porque conseguiram manter a concentração, a pegada. Entraram muito ligados, com muita vontade, um chamando a atenção do outro e isso com certeza fez a diferença. A gente jogou com muita consistência", resumiu o treinador da equipe alvinegra.

A Ponte Preta vai encerrar sua participação na primeira fase contra o Palmeiras, quarta-feira à noite, em São Paulo. Mesmo com 19 pontos e na quarta posição geral, o time campineiro já está fora das quartas de final. Isso porque aparece em terceiro lugar no Grupo A, atrás de Santos, com 23 e Red Bull, com 24, ambos classificados. "Esta é uma questão do regulamento que precisa ser observada. Não é justo", concluiu Jorginho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.