Irritado, Elias critica arbitragem após empate

'Sofri o pênalti, o Jucilei levou um golpe de caratê e o juiz não deu amarelo, mas contra o Corinthians é sempre assim', afirma

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 00h52

O volante Elias não escondeu a irritação com a arbitragem de Leandro Pedro Vuaden no empate do Corinthians com o Botafogo, na noite desta quarta-feira. O jogador reclamou de um suposto pênalti e do cartão amarelo recebido no segundo tempo. Com a advertência, ele cumprirá suspensão diante do Ceará, no sábado.

 

Veja também:

linkCorinthians empata com Botafogo

link Neto nega agressão a Andrés

Brasileirão - tabela Classificação / lista Resultados

som Rádio Eldorado/ESPN - Corinthians 1x0 / Corinthians 1 x 1

"Sofri o pênalti, o Jucilei levou um golpe de caratê e o juiz não deu amarelo, mas contra o Corinthians é sempre assim. Depois dizem que somos beneficiados", protestou, se referindo a uma discutível falta dentro da área. No início da segunda etapa, foram os jogadores do Botafogo que criticaram um gol mal anulado pelo juiz.

Elias, porém, evitou atribuir o tropeço no Pacaembu à atuação de Vuaden. "Erramos no primeiro tempo e tomamos o gol. Depois ficou difícil, sabíamos que eles iam ficar muito na defesa", analisou o volante. "Tem que ter paciência. Criamos as oportunidades, mas não conseguimos marcar mais gols".

Adilson Batista também admitiu a falha da defesa na jogada que gerou o gol botafoguense. "Foi uma desatenção. Tomamos um gol na lateral, com posicionamento errado na área. Os laterais não marcaram o Loco Abreu. Você não pode tirar o mérito do atleta [Abreu]", avaliou o técnico, que não comentou o desempenho do árbitro. "Não costumo falar da arbitragem. Isso é assunto para a direção [do clube]".

Assim como Elias, Roberto Carlos ficou insatisfeito com a afobação do Corinthians no segundo tempo. "É normal que às vezes bata o desespero, você quer o gol, a torcida empurra, porém, para a gente foi bom o empate porque eles tiveram oportunidade no fim também", opinou o lateral-esquerdo. "Mas não adianta desespero, não furamos o bloqueio do Botafogo, só que o campeonato está aberto".

Sereno, Roberto Carlos explicou a sua substituição. "Entrei com uma proteção na perna [vem sentindo dores musculares] e acabei sentindo cãibras. Como não conseguiu tirá-la, tive de sair. O mais importante é que o nosso jogo foi bom. Se ganharmos três fora e todas em casa, seremos campeões", calculou. Em 13 jogos, são sete visitas.

PROBLEMAS - O volante Ralf voltou ao Corinthians nesta quarta, após quatro jogos se recuperando de um entorse no tornozelo esquerdo. Fez um primeiro tempo fraco e não voltou para a fase final. Ele voltou a sentir dores no local e pode não encarar o Ceará. "Ele estava com muita dor, que o limitava na partida. Não tinha como continuar. Agora, vamos fazer tratamento e ver se ele consegue voltar na próxima rodada", afirmou o médico corintiano Paulo de Faria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.