Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Irritado, Felipão evita falar sobre atacante Diego Costa

Após discussão com jornalista, treinador quase abandona entrevista coletiva

Sílvio Barsetti, Agência Estado

31 de outubro de 2013 | 13h01

RIO DE JANEIRO - Luiz Felipe Scolari inicialmente quis negar que estivesse irritado com todo o episódio da convocação e desconvocação de Diego Costa, que foi chamado para defender o Brasil e acabou optando por jogar pela Espanha. Mas o treinador não conseguiu manter a postura por muito tempo e demonstrou nervosismo durante a entrevista coletiva desta quinta-feira, quando apresentou a convocação para os amistosos contra Honduras e Chile. Antes mesmo da divulgação da lista, o diretor de comunicação da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Rodrigo Paiva, avisou os jornalistas presentes que Diego Costa era página virada desde terça-feira, quando comunicou à entidade sobre sua decisão. E por isso Felipão não falaria mais sobre o jogador. Que tudo que havia para se dizer havia sido dito em vídeo publicado no site da CBF, na terça.

Mas o tema, que pautou o noticiário esportivo da semana, não poderia ficar fora da coletiva. Por ter criticado duramente a opção de Diego Costa e a autorização da Fifa à naturalização do jogador, Felipão foi contestado sobre se, hoje, convocaria novamente o brasileiro Deco para a seleção de Portugal. O treinador entendeu a comparação com o caso Diego Costa e respondeu que "o Deco nunca jogou pela seleção brasileira. Convoquei ele por ser um bom jogador e porque nunca jogou pela seleção brasileira. O Pepe também nunca jogou pela seleção brasileira. Nenhum segundo. Tem muita diferença".

Algumas perguntas depois e o tema voltou à coletiva. Um repórter começou a questionar Felipão sobre o vídeo publicado falando de Diego Costa e, na sua argumentação, disse que o treinador estava irritado com o caso. Scolari interrompeu a pergunta: "Não coloquem palavras na minha boca. Coloquei que estava desconvocando, que é a minha função. Se falo rindo [risadas] ou [faz cara de bravo] é minha imagem. Você não tem que julgar minha imagem, só minhas palavras. Falar apenas que eu desconvoquei", criticou o treinador.

O repórter continuou a argumentação e indicou que perguntaria sobre a contradição entre a convocação de Pepe, quando Felipão treinava Portugal, e a opção de Diego Costa pela Espanha. Mais uma vez foi interrompido. "Não faça uma pergunta ridícula que é meio chato", disse o treinador, visivelmente irritado. O jornalista rebateu, dizendo que era seu papel perguntar e de Felipão, que concedia entrevista, responder. "Vou te responder daqui uns quatro ou cinco anos novamente. É ridícula. Eu tenho que responder se quiser", reclamou o gaúcho, que levantou da cadeira e ameaçou se retirar da sala de entrevistas. Logo em seguida, porém, sentou e voltou a se preparou para a próxima pergunta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.