Giuseppe Cacace/AFP
Giuseppe Cacace/AFP

Irritado, Mancini cancela folga de Páscoa da Inter de Milão

Treinador não gostou do empate com o rebaixado Parma em casa

REUTERS

05 de abril de 2015 | 15h42

O técnico da Inter de Milão, Roberto Mancini, cancelou a folga de Páscoa de seus jogadores e ordenou que todos estivessem prontos para uma sessão de treino na manhã deste domingo, após o empate por 1 a 1 em casa com o Parma, atual lanterna e já rebaixado no Campeonato Italiano

A Inter confirmou em seu site que o time treinou às 8h30 da manhã, horário local, observado pelo vice-presidente do clube, Javier Zanetti, e o diretor esportivo, Piero Ausilio.

Mancini ficou furioso com a atitude de seus jogadores depois do empate de sábado, que deixou o time empatado com o Genoa na nona colocação e dez pontos longe de uma vaga em competições europeias na próxima temporada. "Lamento que a situação, em vez de melhorar, tenha piorado", afirmou Mancini a repórteres após o jogo.

"Você sempre espera que as coisas mudem", acrescentou. "As últimas quatro semanas foram muito ruins, especialmente em relação aos resultados e também por causa da nossa atuação no segundo tempo (contra o Parma). Essas são coisas que não consigo explicar bem... Nós jogamos sem pegada, sem esperteza e isso é algo que eu não gosto."

Ausilio afirmou que as partidas restantes da Inter ajudariam a tomar decisões importantes para a próxima temporada. "Sem descanso na Páscoa? Os jogadores descansaram no dia anterior ao jogo, então, é correto que treinem (no domingo)", disse. "Estamos trabalhando focados no futuro e esses últimos nove jogos vão nos ajudar a julgar e a entender quem é um jogador da Inter e quem não é." 

Ele, porém, se recusou a aceitar que a impaciente torcida presente ao San Siro tenha afetado seus jogadores. "Se eles querem vestir esta camisa, não podem falhar no San Siro. É a nossa casa, com nossa torcida, e nós não deveríamos temer ninguém. (O San Siro) deveria ser algo em nosso favor, não vamos nos eximir das nossas responsabilidades."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.