Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Irritado, Muricy nega risco por escalar Neymar no Santos

'Ele é diferenciado e forte fisicamente. Jogou porque estava bem e correu demais', defendeu o técnico

AE, Agência Estado

17 de agosto de 2012 | 10h21

FLORIANÓPOLIS - O Santos conquistou a sua primeira vitória como visitante no Campeonato Brasileiro ao derrotar o Figueirense por 3 a 1, na noite de quinta-feira, em Florianópolis, pela 17ª rodada, mas Muricy Ramalho demonstrou irritação após o duelo. O treinador se revoltou com questionamentos sobre o risco que Neymar correu de se contundir ao ser escalado no Orlando Scarpelli, pouco mais de 24 horas depois de defender a seleção brasileira em amistoso contra a Suécia, disputado em Estocolmo.

"No futebol brasileiro, quando a gente poupa jogador, vocês chiam. E quando a gente põe, vocês falam que está arriscando. Vocês não sabem o que querem. Seria um absurdo da minha parte eu decidir que não ia jogar com o esforço que o jogador fez e com os patrocinadores que fretaram o avião. Ele é diferenciado e forte fisicamente. Jogou porque estava bem e correu demais. Ninguém aqui é menino para fazer coisa errada. A gente fez porque sabia o que estava fazendo", disse.

Além de Neymar, o Santos contou contra o Figueirense com o retorno de outros jogadores importantes, como o meia Paulo Henrique Ganso e o goleiro Rafael, além do atacante André, recém-contratado pelo clube. "Voltaram alguns jogadores que estavam contundidos e os titulares que estavam fora, então claro que é um time com outra cara, mais experiente, que sabe jogar essa competição e com certeza melhora muito", disse.

Muricy minimizou a atuação apagada de André e garantiu que o atacante vai evoluir quando adquirir ritmo de jogo. "O André ainda está um pouco fora. O jogador quando fica na reserva, por mais que treine, as concentrações são longas e ele perde ritmo de jogo. É uma coisa natural que está acontecendo com ele", disse.

O treinador, porém, reconheceu que a troca de André por Miralles foi decisiva para a virada santista. "Eu queria que o Miralles desse mais movimentação para deixar o Neymar livre. O André, como pivô, prendia dois jogadores e fazia uma confusão. O Miralles, com a sua inteligência, jogou nos espaços e por pouco não fez gol. A nossa equipe melhorou muito", comentou.

Com a vitória sobre o Figueirense, o Santos chegou aos 20 pontos e ocupa a 14ª colocação no Campeonato Brasileiro. A equipe volta a jogar no próximo domingo, na Vila Belmiro, contra o Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.