Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Irritado, Parreira defende Neymar de críticas por faltas cometidas

'Atacante não tem o traquejo de marcar, mas o Neymar não é violento', declarou

SÍLVIO BARSETTI - Enviado especial, Agência Estado

25 de junho de 2013 | 16h22

BELO HORIZONTE - Assim que terminou a entrevista coletiva do técnico Felipão, pouco depois das 15 horas, o coordenador-técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, permaneceu no salão reservado à imprensa, no Mineirão, e falou sobre o excesso de faltas cometido pelo time nos últimos jogos. Ao ser lembrado que somente Neymar fez seis faltas contra a Itália, Parreira se irritou e saiu em defesa do craque.

"Ninguém pede para ninguém parar a jogada, para dar porrada", declarou próximo da porta de acesso à área exclusiva da comissão técnica e jogadores.

Em seguida, o coordenador citou Neymar. "Ele fez mais faltas porque está participando mais das jogadas. Se estivesse olhando jogo, não faria faltas. Atacante não tem o traquejo de marcar, mas o Neymar não é violento", prosseguiu.

Parreira também rebateu pergunta de um repórter que afirmou que a seleção conseguiu "até com certa facilidade" arrumar um time e fazer um grupo. "Fácil, quem disse? Foi difícil pra caramba, com trabalho a exaustão de muita gente envolvida nisso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.