Irritado, Ricardinho recusa ser o líder

A diretoria do São Paulo terá de trabalhar muito nos próximos dias para reduzir a tensão criada neste sábado, após a derrota por 2 a 1 para o Santos, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Além do desconforto pela derrota para um rival tradicional e concorrente direto ao título, a partida provocou uma séria crise entre o técnico Roberto Rojas e o meia Ricardinho. O treinador esperava que o meia tivesse uma postura mais firme; de liderança do time em campo. Tanto que na sexta-feira, no último coletivo da semana, pediu maior participação do jogador. Só que isso não aconteceu no jogo deste sábado. Decepcionado, Rojas substituíu o jogador antes da metade do segundo tempo.Ricardinho deixou o campo irritado e aproveitou para fazer um desabafo. Na entrevista coletiva, minutos depois, ele foi categórico: não quer mais ser chamado de líder do time. Pior: diz que não aceita mais cobranças deste tipo. ?Tudo o que conquistei na minha carreira foi desta maneira. Da maneira como eu sou. Eu tenho a minha maneira de liderança e não vou mudar só para agradar os outros?, disse ele, num recado ao treinador. ?Se as pessoas acham que eu vou mudar meu estilo, minha personalidade, estão muito enganadas. Isso pára por aqui. Quero discutir apenas as situações do jogo, não quero mais falar sobre isso?, disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.