Fabrizio Bensch/Reuters
Fabrizio Bensch/Reuters

Isco cobra atenção nas bolas paradas e meio de campo mais efetivo da Espanha

Autor do primeiro gol no empate contra Marrocos projeta jogo difícil contra a Rússia nas oitavas de final da Copa do Mundo

Estadão Conteúdo

25 Junho 2018 | 20h23

O meia Isco cobrou mais atenção da Espanha na sequência da Copa do Mundo da Rússia, principalmente no setor defensivo, a exemplo do que fez o técnico Fernando Hierro após o empate contra Marrocos por 2 a 2, nesta segunda-feira, em Kaliningrado. O empate rendeu a primeira posição do Grupo B aos espanhóis, que não se mostraram satisfeitos com o desempenho da equipe até agora.

+ Hierro diz que classificação da Espanha em 1º lugar foi sorte e cobra jogadores

+ Espanha só empata com Marrocos, mas avança na ponta do grupo e pegará a Rússia

+ Cristiano Ronaldo perde pênalti, Portugal empata e encara Uruguai nas oitavas

"Nós temos que buscar agir em conjunto. Não podemos cometer tantos erros. Agora começa a parte mais importante do torneio, com jogos de vida ou morte, e qualquer falha pode nos eliminar. Não podemos continuar tomando tantos gols, temos de nos concentrar mais", afirmou Isco, autor do primeiro gol diante dos marroquinos e eleito o melhor jogador da partida.

Além dos vacilos do setor defensivo, principalmente nas bolas paradas - como na jogada do segundo gol do Marrocos, de cabeça, após escanteio da direita -, o meio de campo da Espanha também perdeu algumas bolas fáceis, que geraram contra-ataques. "Estamos perdendo o que sabemos fazer melhor, que é controlar o jogo", acrescentou o meia de 26 anos, do Real Madrid.

Isco projetou o jogo das oitavas de final contra a Rússia, que ganhou bem os dois primeiros confrontos e perdeu por 3 a 0 para o Uruguai nesta segunda-feira, para ficar na segunda posição do Grupo A.

 

"Será muito difícil contra a anfitriã e devemos fazer as coisas certas. Eles têm todo um país que os apoia de perto. Fizeram uma boa fase de grupos, apesar da derrota desta terça. Nós sabemos do que eles são capazes, são muito bons e vamos ter que fazer um jogo muito bom", disse. "Teremos que cometer poucos erros se quisermos estar na próxima rodada", concluiu.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.