Wilson Pedrosa/AE
Wilson Pedrosa/AE

'Isso não é um problema para a gente', diz Ronaldo sobre a pré-Libertadores

Após perda do Brasileirão, Fenômeno já pensa na disputa do torneio continental em 2011

FÁBIO HECICO, Agência Estado

05 de dezembro de 2010 | 21h25

O atacante Ronaldo queria e acreditava muito e uma bela despedida no Campeonato Brasileiro. Não fosse com o título, ao menos com uma vitória e, quem sabe, com gol seu. Seriam dedicados para as tribunas do Serra Dourada onde sua mulher, Bia Anthony, e a filha Maria Sophia estavam acompanhando o jogo. Tudo deu errado mas, ao invés de lamentar, o Fenômeno procurou passar otimismo para a próxima temporada.

Veja também:

linkCorinthians empata com o Goiás: 1 a 1

BRASILEIRÃO - tabela Classificação listaResultados

"Não deu agora, porém de qualquer forma ano que vem estamos na Libertadores", disse, antes de saber que o time terá de disputar a fase prévia da competição continental, o que não diminuiu em nada sua fé. "Isso não é um problema para a gente".

O técnico Tite também mostrou surpresa com a não vaga direta na Libertadores. Contudo, seguiu a linha de seu craque. "Não temos de esperar o Goiás na Sul-Americana? É pré-Libertadores direto?", questionou. "Essa é a realidade nossa e a partir de agora o pensamento nosso. Não queríamos, agora é ter a grandeza de assumir e passar dessa parte."

A apresentação será dia 3 de janeiro, 10 horas. Nela, Tite espera contar com Ronaldo inteiro. Neste domingo, o jogador saiu com dores na coxa esquerda após um pique no fim. O Fenômeno também confia em estar inteiro para retribuir o carinho visto no Serra Dourada e também em outros jogos. "Nossa entrega foi máxima, total e a gente agradece o apoio do nosso torcedor. Enfim, ano que vem tem mais. Isso é o futebol, emocionante, empolgante porque acontecem surpresas inesperadas", enfatizou.

Sobre a perda do título, o camisa 9 disse que não foi por causa do empate deste domingo que a taça deixou de vir para o Parque São Jorge. "Foi só nosso o problema, por não ter ganho nosso outros jogos", disse, lembrando também de tropeços no Pacaembu e do vacilo em Salvador, diante do rebaixado Vitória. "Não ganhamos um campeonato, mas a coisa ameniza por causa da vaga na Libertadores", insistiu. "Do mais, somos derrotados como os outros 19."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.