Paul Thomas/AP
Paul Thomas/AP

Itália bate EUA de virada na Copa das Confederações

Vitória por 3 a 1 na estreia deixa a equipe europeia na liderança do Grupo B da competição na África do Sul

Agencia Estado

15 de junho de 2009 | 17h38

PRETÓRIA - A Itália sofreu, mas conseguiu confirmar seu favoritismo e estrear com vitória na Copa das Confederações, competição disputada um ano antes do Mundial da África do Sul, em que a equipe tentará repetir a conquista de 2006. Nesta segunda-feira, em Pretória, o time de Marcello Lippi derrotou os Estados Unidos por 3 a 1, de virada.

Veja também:

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Com a vitória, a Itália assumiu a liderança do Grupo B com três pontos, assim como o Brasil, mas com saldo de gols superior ao da equipe dirigida por Dunga. Egito e Estados Unidos ocupam as últimas colocações, já que ainda não pontuaram.

A seleção italiana teve o domínio da partida, mas com dificuldades de criação teve problemas para criar lances perigosos no primeiro tempo e foi para o intervalo em desvantagem. Na etapa final, porém, aproveitando da vantagem numérica, a Itália pressionou os Estados Unidos e conseguiu a virada, evitando nova igualdade com a equipe norte-americana. Na Copa do Mundo de 2006, as duas equipes empataram por 1 a 1.

As duas seleções voltam a jogar na quinta-feira pela segunda rodada do Grupo B da Copa das Confederações. Os Estados Unidos vão enfrentar o Brasil, às 11 horas (horário de Brasília), em Pretória. Já a Itália encara o Egito, a partir das 15h30, em Johannesburgo.

O JOGO

A partida começou em ritmo lento. A Itália tinha mais posse de bola e trocava passes, mas parava na forte marcação dos Estados Unidos. E a primeira finalização foi norte-americana, após cobrança de falta sofrida por Altidore. Aos oito minutos, Dempsey chutou forte, mas por cima do gol de Buffon.

A jogada parece ter acordado a Itália, que passou a apresentar mais objetividade. Pirlo cruzou para Camoranesi, que chutou para fora, aos dez minutos. Aos 11, De Rossi lançou Iaquinta, que ajeitou para Gilardino. O atacante finalizou e Howard defendeu com tranquilidade.

Melhor em campo, a Itália teve sua principal chance de gol aos 20 minutos. Pirlo cobrou falta para área e Legrottaglie cabeceou para fora. A seleção dos Estados Unidos, porém, chegou com perigo em contra-ataques. Aos 24, Donovan avançou e tocou para Bradley, que chutou fraco e facilitou a defesa de Buffon.

Legrottaglie, aos 28, perdeu nova chance em cabeceio, após cruzamento de Camoranesi. A Itália voltou a assustar aos 31 minutos, com Howard espalmando cobrança de falta de Pirlo. E no minuto seguinte a seleção dos Estados Unidos ficou com dez jogadores, após Clark cometer falta dura em Gattuso.

Aos 39 minutos, o árbitro Pablo Pozo anulou um gol da Itália. Zambrotta foi lançado, mas antes que a bola chegasse ao italiano, Bornstein desviou para a própria meta. Para sua sorte, o italiano estava impedido. E a seleção dos Estados Unidos chegou ao gol aos 41 minutos. Altidore foi derrubado na área por Chiellini. Na cobrança, Donovan converteu com categoria, deslocando Buffon.

Aos 42 minutos, Bradley obrigou o goleiro italiano a defender em dois tempos após chute forte. A Itália, em desvantagem, teve boa chance em seguida. Após escanteio, Zambrotta finalizou de fora da área, mas para fora.

A Itália retornou para o segundo tempo com mais iniciativa, mas com dificuldade para superar os marcadores. Tanto que só conseguiu finalizar aos dez minutos, com Iaquinta, de cabeça, após cobrança de escanteio de Pirlo.

Em seguida, o técnico Marcello Lippi promoveu as entradas de Montolivo e de Giuseppe Rossi, que nasceu nos Estados Unidos. E foi Rossi, em jogada individual, que empatou o duelo. Aos 12 minutos, ele roubou a bola no meio-de-campo e chutou forte de fora da área, no canto esquerdo do gol defendido por Howard.

Aproveitando a vantagem numérica, a Itália pressionava os Estados Unidos, mas perdia várias chances. Aos 16, Pirlo cruzou, Chiellini desviou para trás e Iaquinta chutou para fora. O atacante desperdiçou nova oportunidade aos 22 minutos. Pirlo chutou, Howard espalmou e Iaquinta finalizou por cima da meta norte-americana.

A Itália chegou ao gol da virada aos 26 minutos. De Rossi bateu de fora da área, sem chance de defesa para Howard e colocou a equipe em vantagem. A equipe italiana passou a tocar a bola com menos objetividade, mas mesmo assim chegou com perigo aos 32 minutos. Montolivo bateu da entrada da área e Howard defendeu com dificuldade. Aos 42, Luca Toni desperdiçou cruzamento de Grosso ao cabecear fraco.

A seleção dos Estados Unidos se arriscou nos minutos finais e desperdiçou chances com Kljestan e Davies. A Itália, com mais espaço, finalizou com Rossi e Toni antes de marcar o terceiro gol. Pirlo fez boa jogada individual e cruzou para Rossi, que finalizou de primeira e marcou o seu segundo gol na vitória italiana.

ITÁLIA 3 X 1 ESTADOS UNIDOS

Itália - Buffon; Grosso, Chiellini, Legrottaglie e Zambrotta; Gattuso (Rossi), Pirlo, De Rossi e Camoranesi (Montolivo); Gilardino (Toni) e Iaquinta. Técnico: Marcello Lippi

Estados Unidos - Howard; Bornstein (Kljestan), Spector, DeMerit e Onyewu; Clark, Bradley e Feilhaber (Beasley); Dempsey, Donovan e Altidore (Davies). Técnico: Bob Bradley.

Gols - Donovan, aos 41 minutos do primeiro tempo; Rossi, aos 12 e aos 48, De Rossi, aos 26 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Legrottaglie, Grosso (Itália); Bornstein (Estados Unidos)

Cartão vermelho - Clark (Estados Unidos)

Árbitro - Pablo Pozo (Chile)

Local - Estádio Lotfus Versfeld, em Pretoria (África do Sul)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.