Itália derrota República Checa e vai disputar a Copa do Mundo no Brasil

Vitória de virada garante primeira colocação antecipada do Grupo B das Eliminatórias Europeias

AE, Agência Estado

10 Setembro 2013 | 17h52

TURIM - Tetracampeã mundial de futebol, a Itália estará no Brasil em 2014 na busca por sua quinta conquista. Nesta terça-feira, a seleção venceu a República Checa de virada, por 2 a 1, no Estádio da Juventus, em Turim, e confirmou vaga na 18.ª Copa do Mundo de sua história - ficou fora apenas em 1930 e 1958.

O resultado fez com que a Itália garantisse a primeira colocação do Grupo B das Eliminatórias Europeias, mesmo com duas rodadas ainda por jogar. A equipe do técnico Cesare Prandelli chegou aos 20 pontos contra 13 da Bulgária, segunda colocada, e 12 da Dinamarca, terceira. A República Checa vem na sequência, com nove pontos, e ainda sonha com a repescagem.

Campeã em 1934, 1938, 1982 e 2006, a Itália é um dos países com maior tradição em Copas do Mundo e se tornou a sétima seleção a confirmar vinda ao Brasil. Além dos próprios brasileiros, garantidos por serem do país-sede, já haviam se classificado Japão, Coreia do Sul, Austrália, Irã e Holanda, que também se garantiu nesta terça-feira.

Para confirmar a classificação, no entanto, os italianos precisaram superar um susto inicial, já que foi a República Checa que saiu na frente na etapa inicial e calou a torcida em Turim. Aos 18 minutos, Jiracek foi lançado pela esquerda e deu cruzamento na medida para Kozak, que mergulhou bonito e tocou cruzado, sem chances para Buffon.

Apesar do susto, a Itália não diminuiu a produção e continuou melhor, empurrada por Balotelli, que dava muito trabalho à zaga adversária. Aos 23 minutos, ele recebeu de Giaccherini e, sozinho, acertou a trave. Apenas um minuto depois, o atacante do Milan aproveitou rebote de Petr Cech e perdeu outra grande chance.

Depois de virar o primeiro tempo perdendo, os italianos conseguiram dois gols rapidamente na etapa final. Aos oito minutos, Chiellini subiu mais alto que todo mundo após escanteio batido por Candrevas e igualou. Mais um minuto e Balotelli foi derrubado na área. Ele mesmo foi para a cobrança e garantiu a vitória italiana.

Atrás no placar, os checos foram para cima e chegaram a ter boas chances, como com Jiracek, que aos 21 minutos chutou rasteiro para boa defesa de Buffon. Kolar foi expulso aos 43 por falta em Balotelli, mas ainda houve uma última chance para o empate. Já nos acréscimos, Kozak aproveitou sobra na área, mas bateu fraco.

Nos outros jogos do Grupo B realizados nesta terça, vitórias do segundo e do terceiro colocados. Mesmo atuando fora de casa, a Dinamarca derrotou a Armênia por 1 a 0 com o gol do zagueiro Daniel Agger, cobrando pênalti no segundo tempo. O resultado colocaria os dinamarqueses na vice-liderança da chave se não fosse o triunfo da Bulgária. Também fora de casa, os búlgaros passaram por Malta por 2 a 1, com gols de Dimitrov e Gargarov. Herrera descontou para os mandantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.