Itália diz que caso Battisti não vai interferir em amistoso

Apesar da crise diplomática, seleção brasileira enfrentará os italianos no próximo dia 10 de fevereiro

EFE,

27 de janeiro de 2009 | 16h26

O governo italiano confirmou nesta terça-feira que não vai tentar impedir a realização do amistoso entre Brasil e Itália, apesar da proposta do cancelamento da partida em retaliação às autoridades brasileiras, que concederam asilo político ao ex-ativista de esquerda Cesare Battisti.Veja também:Em meio a caso Battisti, Itália quer cancelar amistoso com BrasilEx-jogadora de vôlei defende amistoso Brasil x ItáliaO subsecretário de Exteriores italiano, Alfredo Mantica, havia pedido o cancelamento da partida marcada para o dia 10 de fevereiro, em Londres, na Inglaterra.No entanto, o subsecretário de Exteriores da Itália, Rocco Crimi, disse que o caso Battisti não deve interferir na realização de um evento esportivo."Os assuntos políticos ou diplomáticos, por mais que sejam relevantes e significativos, não devem comprometer a realização de eventos esportivos", disse em nota.O técnico da seleção italiana, Marcello Lippi, evitou comentar o assunto. "Isto é um assunto para o presidente da República, não para um treinador. Se falo algo, posso criar confusão", declarou, segundo o jornal La Gazzetta dello Sport.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.