Itália e Espanha mostram seus astros

A temporada de 2003-04 na Europa começa, para valer, a partir deste sábado, quando Itália e Espanha dão a largada em seus respectivos campeonatos nacionais. Os dois países há anos são os principais centros do futebol no continente, têm os torneios mais charmosos, atraentes e equilibrados. Os grandes clubes, mesmo em fase de contenção de despesas por conta da crise financeira, investem em estrelas, são badalados e com freqüência conquistam títulos de expressão. As duas ligas são, também, aquelas mais difundidas no mundo. A tradição não será quebrada desta vez, mesmo com as polêmicas que antecederam as competições. Na Itália, os clubes pequenos estão em pé de guerra com a Liga e com a Federação de Futebol porque a Série B foi ampliada de 20 para 24 concorrentes. Houve boicote na primeira rodada da Copa Itália e os reflexos podem estender-se até para a elite. Na Espanha não faltou discussão, embora menos intensa e aparentemente superada. Um bloco formado por 30 equipes ? 22 da Série B e 8 da A ? ameaçou não entrar em campo, se não houvesse acordo para a venda de direitos de transmissão para a televisão. Como os clubes foram autorizados a negociar seus pacotes individualmente, aqueles com menor poder de barganha se sentiram prejudicados. Agora, pode ocorrer acordo coletivo, que deve girar em torno de US$ 92 milhões anuais. O Campeonato Italiano será transmitido, pela ESPN, ESPN/Brasil e pela Rai International, tevês por assinatura. Nenhuma emissora do País fechou ainda com o torneio Espanhol. Isso significa que será possível ver ao vivo ? aos sábados e aos domingos ? as proezas de Rivaldo, Kaká, Cafu, Baggio, Del Piero, que atuam no calcio. Já as acrobacias de Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Zidane, Figo estão ?vetadas? aos brasileiros. Por ora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.