Itália e Espanha reeditam a final do último Mundial

Seleções se enfrentam nesta quinta-feira no Rio de Janeiro na luta pra uma vaga na decisão do torneio

Giuliander Carpes - O Estado de S. Paulo,

15 de outubro de 2008 | 19h28

RIO - Quatro anos depois de terem decidido o título mundial de futsal em Taiwan, Espanha e Itália se reencontram na semifinal do campeonato realizado no Brasil. Dessa vez, espanhóis e italianos duelam, nesta quinta-feira, a partir das 12h30, no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio, para ver quem disputará a grande final.Veja também: Mundial de Futsal - Classificação, calendário e resultadosGaleria de fotos - Trajetória da seleção brasileira nos MundiaisEspecial: Histórico do Brasil no MundialEm Taiwan, a Espanha levou a melhor na final contra a Itália e venceu por 2 a 1, conquistando o bicampeonato mundial na ocasião. No ano passado, os dois países voltaram a decidir um título, no Campeonato Europeu de Futsal, e os espanhóis ganharam novamente, com 3 a 1 sobre os italianos.Agora, a Itália, cuja seleção conta com 14 jogadores brasileiros naturalizados italianos, promete dar o troco na Espanha, que tem outros três brasileiros em seu grupo na disputa desta edição do Mundial de futsal.Até agora, a Itália teve uma campanha irregular no Mundial. Na primeira fase, venceu Tailândia, Portugal e Estados Unidos, mas perdeu para o Paraguai. Depois, na segunda etapa do campeonato, os italianos foram derrotados pelo Brasil, ganharam da Ucrânia e só conseguiram a classificação graças ao gol no último minuto que lhe deu o empate contra o Irã."Fica mais bonito quando se sofre tanto", afirma o técnico da seleção italiana, Alessandro Nuccorini. Mas eles sabem da força espanhola, apesar de mostrarem confiança. "A Espanha é um rival de respeito e é a favorita. Mas nós sabemos que temos condições de vencê-los desta vez", diz o goleiro Feller.Enquanto isso, a Espanha tem feito uma campanha muito boa no Mundial. Depois do sofrido empate com o Irã na estréia, os espanhóis só somaram vitórias até agora, diante de Líbia, República Checa, Uruguai, Rússia, Argentina e Paraguai. "Quem errar menos conseguirá a vaga na final", prevê Fernandão, pivô brasileiro naturalizado espanhol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.