Itália e França decidem o título da Copa do Mundo

Itália e França eliminaram favoritos, mostraram sua força, chegaram à decisão com méritos e disputam neste domingo o título da 18ª edição da Copa do Mundo. A grande final do Mundial da Alemanha acontece no Estádio Olímpico de Berlim, a partir das 15 horas (horário de Brasília), com transmissão ao vivo de Globo, SporTV, ESPN Brasil e Bandsports. Em campo, estarão dois grandes rivais, ambos campeões mundiais. A Itália já ganhou três títulos (1934, 1938 e 1982), enquanto a França venceu apenas uma vez (1998). De qualquer maneira, os países da Europa vão igualar o número de conquistas dos sul-americanos: serão 9 para cada lado. Na história do confronto, a Iália leva vantagem, com 17 vitórias, 8 empates e 7 derrotas em 32 partidas disputadas contra a França. Mas, falando só de Copa, o equilíbrio é maior. Até agora, foram 4 jogos em Mundiais, com 2 vitórias para cada lado. Os italianos venceram nas quartas-de-final de 1938 (3 a 1) e na fase de grupos de 1978 (2 a 1). Já os franceses ganharam nas oitavas-de-final de 1986 (2 a 0) e nas quartas-de-final de 1998 (no pênaltis, após 0 a 0 no tempo regulamentar). O fim de uma geração A seleção francesa ainda tem alguns jogadores daquele time campeão em 1998 e, principalmente, ainda tem Zidane. Aos 34 anos, ele já anunciou que vai encerrar a carreira depois da Copa. Mesmo assim, foi decisivo na campanha vitoriosa da França e é o grande favorito ao prêmio de melhor jogador do Mundial. Ao lado de Zidane, outros jogadores devem se despedir da seleção francesa neste domingo ? de preferência, com o título. O goleiro Barthez e o zagueiro Thuram são alguns exemplos. Eles formam a base do time, junto também com o volante Vieira e o atacante Henry. Na final deste domingo, todos estarão em campo. Afinal, a França terá apenas um desfalque, o atacante reserva Saha (suspenso), e poderá escalar todos seus titulares. Melhor para o técnico Raymond Domenech, que acertou o time durante a Copa e surpreendeu ao levar a França para a final, eliminando, entre outros, o favorito Brasil. Na primeira fase da Copa, porém, a seleção francesa quase foi eliminada. Empatou com Suíça (0 a 0) e Coréia do Sul (1 a 1), mas venceu Togo (2 a 0), terminando em segundo lugar do Grupo G. Depois disso, o time embalou e passou pela Espanha (3 a 1), Brasil (1 a 0) e Portugal (1 a 0). A força da defesa italiana A Itália teve uma caminhada um pouco mais tranqüila. Com as vitórias por 2 a 0 sobre Gana e República Checa, além do empate com os Estados Unidos (1 a 1), terminou em primeiro lugar do Grupo E. Na seqüência, eliminou Austrália (1 a 0), Ucrânia (3 a 0) e a dona da casa Alemanha (2 a 0, na prorrogação). Como sempre, o ponto forte da seleção italiana foi a defesa. O goleiro Buffon, por exemplo, está perto de bater o recorde de tempo sem tomar gols numa Copa. Ele já está invicto há 453 minutos, enquanto a melhor marca é do seu compatriota Walter Zenga, com 517 minutos no Mundial de 90. Para ajudar, Buffon conta com defensores como Zambrotta e Cannavaro. Mas na final deste domingo, ele não terá a proteção de um dos zagueiros titulares. Contundido, Nesta é o único desfalque italiano e será substituído mais uma vez por Materazzi. Em compensação, o time do técnico Marcello Lippi terá a eficiência do meia Pirlo, o talento do meia-atacante Totti e o oportunismo do atacante Luca Toni. Além de chegar ao tetracampeonato mundial, a Itália espera que a conquista do título possa abafar um pouco o escândalo que abala o futebol do país. Acusados de participar de esquema de manipulação de resultados, times tradicionais como Juventus e Milan correm risco de serem punidos pela Justiça. Mas, por sorte, essa polêmica não afetou o desempenho da seleção na disputa da Copa. Duelo de gigantes Campeões mundiais, grandes rivais e com todas suas armas na mão. Assim, França e Itália entram em campo neste domingo, no Estádio Olímpico de Berlim, para decidirem o título da Copa da Alemanha. A expectativa é de um grande jogo, que o mundo inteiro deve parar para poder assistir. Ficha técnica: Itália x França Itália: Buffon; Zambrotta, Cannavaro, Materazzi e Grosso; Camoranesi, Pirlo, Gattuso, Perrotta e Totti; Luca Toni. Técnico: Marcello Lippi. França: Barthez; Sagnol, Thuram, Gallas e Abidal; Makelele, Vieira, Ribéry; Malouda e Zidane; Henry. Técnico: Raymond Domenech. Juiz: Horacio Elizondo (ARG) Local: Estádio Olímpico de Berlim Data: 09/07/2006 (domingo) Horário: 15 horas (de Brasília) Transmissão: Globo, Bandsports, ESPN Brasil e Sportv

Agencia Estado,

08 Julho 2006 | 19h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.