Itália empata na despedida de Baggio

Os 37 mil torcedores que lotaram o Estádio Luigi Ferraris, em Gênova, tiveram motivo especial para festejar, apesar do magro empate por 1 a 1 da Itália com a Espanha. O público quis mesmo prestar homenagem a Roberto Baggio, 37 anos e que se despedia da ?Squadra Azzurra?, seleção que defendeu nos Mundiais de 90, 94 e 98. ?Foi uma noite inesquecível?, admitiu o meia, atualmente no Brescia, mas que defendeu também Fiorentina, Juventus, Internazionale. Baggio encantou o público com alguns dribles e lançamentos de seu vasto repertório de jogadas bonitas. Saiu a 5 minutos do final, sob aplausos em pé da platéia e diante de muitos cartazes que resumiam o carinho dos italianos por um dos maiores jogadores do calcio. Baggio defendeu a Itália em 56 ocasiões, embora estivesse fora de convocações regulares desde 1999. O auge da carreira ocorreu em 1994, quando foi o responsável por levar a seleção à final, na Copa dos Estados Unidos. O confronto com o Brasil, por ironia, o marcou, porque desperdiçou o último pênalti, que deu o tetra ao time dirigido por Carlos Alberto Parreira. Embora tenha sido uma noite de festa, Itália e Espanha não fizeram grande apresentação, na preparação para a Eurocopa. Os espanhóis abriram o marcador aos 7 minutos do segundo tempo, com Fernando Torres e os anfitriões empataram com Vieri aos 10. Scolari - Portugal continua a se enroscar diante de equipes que disputarão a Euro-2004. O time de Luiz Felipe Scolari recebeu a Suécia, em Coimbra, e contentou-se com suado 2 a 2. Os nórdicos saíram na frente, com Kallstrom aos 17 minutos do primeiro tempo e Pauleta empatou aos 33. Rui Jorge, contra, fez o segundo aos 41 da fase final e Nuno Gomes empatou em cima da hora.

Agencia Estado,

28 de abril de 2004 | 19h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.