Itália joga duas competições ao mesmo tempo, diz ministro

O ministro dos Esportes da Itália, Giovanni Melandri, disse nesta terça-feira que seu país disputa terá de disputar duas competições ao mesmo tempo: a Copa do Mundo e a luta contra o escândalo de manipulação de resultados que envolve alguns dos principais clubes do país, inclusive a Juventus e o Milan, que cederam cinco jogadores cada um à "Azzurra". "São duas partidas ao mesmo tempo, que devem ser mantidas separadas: uma em campo, na Copa, com a seleção, e outra fora, liderada pelo presidente Rossi", disse o ministro, em referência a Guido Rossi, ex-senador nomeado como interventor na Federação Italiana de Futebol (FIGC) depois que o presidente, Franco Carraro, renunciou, logo após o estouro do escândalo. Melandri esteve na concentração de Coverciano, em Florença, nesta terça-feira, pouco antes do embarque da equipe para a Suíça, onde a Itália fará dois amistosos, contra a seleção da casa, nesta quarta, em Genebra, e a Ucrânia, sexta, em Lausanne. O técnico Marcelo Lippi deve aproveitar o jogo contra os suíços para escalar Totti desde o início - será a primeira partida dele como titular desde que quebrou a perna esquerda, em fevereiro, num jogo da Roma. "Ele está fazendo exercícios específicos para recuperar os movimentos, e está melhorando cada vez mais", disse o técnico, que deve lançar o outro astro da Itália, Del Piero, no ataque, com Toni e Gilardino disputando a outra vaga - os dois vinham atuando como titulares nos últimos jogos. O lateral-direito Zambrotta, que sofreu uma lesão na coxa esquerda no treino do último domingo, só poderá voltar a treinar em no mínimo 15 dias, mas não deve ser cortado, segundo o médico-chefe da seleção, Enrico Castelacci. "É uma distensão pequena, o que nos deixa mais tranqüilos. Ele deve voltar no máximo em 20 dias, se tudo for bem", afirmou. Na Copa, no entanto, o jogador da Juventus, que também viajou para a Suíça, não deve disputar os dois primeiros jogos da "Azzurra" no Mundial, contra Gana, dia 12, em Hannover, e os Estados Unidos, cinco dias depois, em Kaiserslautern.

Agencia Estado,

30 Maio 2006 | 11h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.