MARCO BERTORELLO / AFP
MARCO BERTORELLO / AFP

Itália reduz a capacidade dos estádios para 5 mil espectadores devido à pandemia

Avanço da variante Ômicron faz liga italiana instituir medida para evitar aumento dos casos de covid-19

Redação, AFP

08 de janeiro de 2022 | 20h42

A Liga Italiana de Futebol, sob pressão do governo, decidiu neste sábado reduzir a capacidade máxima dos estádios durante a 22ª e 23ª rodadas da Série A para 5 mil espectadores, em um momento de recuperação da pandemia da covid-19.

Esta decisão, previamente anunciada por vários meios de comunicação italianos e confirmada pela liga à AFP, foi adotada durante uma assembleia geral da organização do campeonato italiano convocada com urgência no dia seguinte que o presidente do conselho italiano, Mario Draghi, instou a tomar medidas para combater a repercussão das infecções pela covid-19, especialmente da variante Ômicron.

Os jogos agendados para este domingo, incluindo Roma x Juventus e Internazionale x Lazio (da 21ª rodada), já vão ser disputados com lotação reduzida, mas com 50% da capacidade do estádio, assim como o jogo da Supertaça entre Inter e Juve previsto para próxima quarta-feira em San Siro.

Ao contrário da Alemanha e Holanda, onde as partidas de futebol acontecem sem público, a Itália opta por uma redução da capacidade, como a França. Com a decisão, a Série A evita o risco de a decisão ser tomada diretamente pelo governo, que poderia ter decidido impor o fechamento das instalações esportivas ao público.

A medida estará em vigor até 23 de janeiro e sua possível prorrogação será decidida com base na evolução da pandemia, que na Itália, um dos países europeus mais afetados pelo coronavírus, já causou 138 mil mortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.