Robert Michael/AFP
Robert Michael/AFP

Mancini revela permanência na Itália encaminhada e planeja ciclo até Copa de 2026

Campeão da Eurocopa, treinador revela que gostaria de fechar sua passagem pela seleção com o título mundial

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2022 | 13h55

Roberto Mancini ficou bastante triste e revoltado com a queda da Itália na repescagem diante da Macedônia do Norte, com derrota por 1 a 0 em Palermo. E muitos achavam que deixaria o comando da Azzurra após a ausência na Copa do Mundo do Catar. Dono de ótimo trabalho na seleção, o treinador de 57 anos deixou explícito nesta segunda-feira, em Coverciano, que já tem a permanência na direção da equipe encaminhada - o martelo será batido após jogo com a Turquia, nesta terça-feira - e até já faz planos para seu novo ciclo até o Mundial de 2026.

"Precisamos começar de novo, temos partidas importantes chegando", afirmou o treinador nesta segunda-feira, véspera do jogo com os turcos. "Conversei com o presidente (Gabriele Gravina, da Federação Italiana de Futebol), estamos de acordo em tudo. E teremos tempo para discutir o que precisamos melhorar", continuou.

Atual campeão da Eurocopa, batendo a Inglaterra em Wembley na decisão, Mancini revelou que gostaria de fechar sua passagem pela seleção também com o título mundial e tentará em seu novo ciclo. Seu antecessor, Gian Piero Ventura, saiu justamente por não levar a seleção à Copa da Rússia, em 2018.

"Ainda sou jovem e queria ganhar uma Eurocopa e uma Copa do Mundo. Vamos ter que esperar um pouco pelo segundo, mas gosto deste trabalho e sei que com os jogadores podemos voltar a organizar algo importante. Além da decepção, todo o resto está avançando", frisou.

O técnico enxerga bastante futuro na seleção italiana, sobretudo pela renovação que planeja no elenco. Em sua visão, o atual plantel até tinha condições de levantar a taça no Catar, no fim do ano.

"Existem muitos jogadores jovens que podem ter a ambição de jogar com a Itália, com um futuro brilhante pela frente. Podemos olhar para o potencial dos jovens jogadores. A equipe atual, com alguma adição, poderia ter vencido a Copa do Mundo", cravou. "Certamente apresentaremos jogadores mais jovens já em junho para a Liga das Nações. Espero que eles ganhem experiência em seu clube. Isso é fundamental."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.