Reprodução
Pirlo, Tevez e Vidal foram as maiores baixas da Juventus para a temporada 2015/16 Reprodução

ITALIANO DEVE TER MAIS EQUILÍBRIO DO QUE NAS ÚLTIMAS TEMPORADAS

Sem três craques, Juventus terá perseguição mais acirrada em 2015/16

Rafael Pezzo, O Estado de S. Paulo

21 de agosto de 2015 | 07h00

Com dois clássicos nas três primeiras rodadas, o Campeonato Italiano 2015/16 começará com tudo neste sábado, 22 de agosto. Já na segunda jornada, a Juventus visitará a Roma, no Estádio Olímpico. Ao norte da bota, Milan e Inter se enfrentarão no San Siro duas semanas depois. 

Após quatro anos de domínio da Juventus, este pode ser o torneio italiano mais equilibrado. A constatação é mais pelas perdas da Velha Senhora do que pelos reforços dos concorrentes, a não ser o Milan, talvez. Massimiliano Allegri perdeu três peças muito importantes do sucesso recente da Juve. Tevez voltou para o Boca Juniors; Andrea Pirlo foi para o New York City; e Arturo Vidal se mudou para o Bayern de Munique. Eles conduziram o time de Turim ao título na edição passada.

Se os nomes que deixaram são pesados, os que chegam também têm de ser respeitados. De Madri chegaram Sami Khedira, do Real Madrid, e atacante Mario Mandzukic, do Atlético. O setor ofensivo também foi reforçado com as promessas Paulo Dybala, de 21 anos apenas e ex-Palermo, e Simone Zaza, 24, ex-Sassuolo. O bianconero (alvinegro) foi o que mais gastou nesta janela, com 117,6 milhões de euros (R$ 457,4 milhões).

Vice nas duas últimas temporada, a Roma traz mais apostas do que certezas para o ataque, com os empréstimos de Mohammed Salah, da Fiorentina, e Victor Ibarbo, do Cagliari. O novo titular no gol será Wojciech Szczesny, polonês que veio sem custos do Arsenal. Apesar de muitas discussões na última janela, Francesco Totti continuará no time do coração.

Talvez a equipe mais modificada seja a Inter de Milão, segundo mais gastão na intertemporada. O tailandês Erick Thorir desembolsou cerca de 64,7 milhões de euros (R$ 251,6 milhões) com Geoffrey Kondogbia e Stevan Jovetic e os zagueiros Murillo e Miranda. Em contrapartida, cerca de seis titulares deixaram de vestir a camisa nerazzurra (azul e preta), como Jonathan, Lukas Podolski e Xerdan Shaqiri. A Inter de Milão ainda estaria interessada no atacante peruano do Flamengo, Paolo Guerrero.

O Milan colecionou desempenhos decadentes desde o troféu em 2010/11, último antes do tetra bianconero. Há dois anos, terminou na oitava colocação e, em 2014/15, foi o décimo apenas. Trabalha para se recolocar entre os mais fortes da Itália. A esperança do torcedor é grande. Depois das rápidas passagens dos ídolos Clarence Seedorf e Fillippo Inzaghi como técnicos, os rossoneri (rubro-negros) fecharam com Siniša Mihajlovic, da Sampdoria. O clube gastou cerca de 62,9 milhões de euros (R$ 244,8 milhões) em contratações, o que não é pouco. Entre os que chegam está Carlos Bacca, artilheiro do Sevilla por dois anos seguidos, e Luiz Adriano, do Shakhtar Donetsk. Talvez a maior baixa seja Stephan El Shaarawy, cedido por empréstimo ao Monaco, da França.

Lazio, 3º no ano passado, Fiorentina, 4º, e Napoli, 5º, não adicionaram nenhuma estrela ao elenco para esta temporada e devem seguir na perseguição por vagas nas copas europeias e pelo troféu na Copa da Itália. Os laziali foram os únicos deste trio que mantiveram o técnico, Stefano Pioli. Depois de se desentender com a diretoria, Vicenzo Montella foi demitido da Fiorentina. Já entre os napolitanos, Rafael Benítez foi para o Real Madrid. Paulo Sousa e Maurizio Sarri são os substitutos, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Carpi, do norte da Itália, faz sua primeira temporada na Série A

Com estádio para 4.400 torcedores, clube divide opiniões

O Estado de S. Paulo

21 de agosto de 2015 | 07h00

Fundado em 1909, falido e reinaugurado em 2000, o Carpi fará sua primeira participação na história da Série A. Original de cidade homônima do norte da Itália, os biancorossi (alvirrubros) já estiveram na primeira divisão italiana na década de 1920, antes da fundação da atual Liga. Esta foi a quarta subida de divisão do clube em seis anos.

O elenco conta com o goleiro brasileiro Gabriel, ex-Cruzeiro, que está sob empréstimo do Milan. O destaque também fica com o atacante nigeriano Jerry Mbakogu, de 22 anos. Muito provavelmente o Carpi não mandará seus jogos em casa, já que o estádio comporta apenas 4.400 torcedores, número bem inferior aos 20 mil exigidos pela liga.

Nem todos estão entusiasmados com o crescimento do time de Modena. O presidente da Lazio, Claudio Lotito, foi flagrado criticando a ascensão destes clubes nanicos da Itália. Responsável por negociar as cotas de TV, o diretor disse que "se subirem esses times que não valem m... nenhuma, não teremos dinheiro daqui a duas ou três temporadas."

Os jogos do Campeonato Italiano serão mostrados no Brasil pelos canais Fox e ESPN Brasil. Veja as partidas das primeiras rodadas (clique na imagem para ampliar):

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.