Italianos pressionam Trapattoni

O tempo passa, a Itália continua jogando mal e a pressão sobre o técnico Giovanni Trapattoni vai aumentando. A pobre atuação da Azzurra no empate por 1 a 1 com a Iugoslávia, sábado, em Nápoles, desatou uma dura onda de críticas ao treinador. E já há rumores de que ele poderá ser substituído por Dino Zoff se a equipe não conseguir um bom resultado quarta-feira, contra País de Gales, em Cardiff, pela terceira rodada das Eliminatórias da Eurocopa/2004.A Itália teve uma atuação medíocre e contou com a sorte no lance do gol de empate, porque a falta cobrada por Del Piero desviou na barreira e enganou o goleiro Pletikosa. Os 50 mil torcedores presentes ao estádio San Paolo não se conformaram com a falta de imaginação da equipe e vaiaram sem dó.O jornal mais violento contra Trapattoni foi o Corriere dello Sport, de Roma, que colocou a seguinte manchete: "Basta de Trap, agora Zoff deve ser o treinador". O texto sobre o jogo diz: "Não importa quem é o adversário nem qual a equipe que Trapattoni coloca em campo, a Itália sempre mostra um jogo burocrático, que não diverte o público e só merece vaias. É um time que não mostra futebol nem alma e que depende da sorte."O treinador, que vem sendo bombardeado desde que a Itália foi eliminada nas oitavas-de-final da Copa do Mundo, tenta demonstrar tranqüilidade. "Fantasma Zoff? Os treinadores vão e vêm, mas não estou acabado e durmo tranqüilo. Meu futuro não depende do resultado em Gales. Além disso, Zoff é um grande amigo meu e eu ficaria satisfeito se fosse substituído por um ex-aluno." Trapattoni refere-se a Zoff como "ex-aluno" porque o dirigiu por muito tempo quando ele era goleiro da Juventus nas décadas de 70 e 80.Em sua defesa, Trapattoni lembra que vários jogadores estão machucados. "Estamos numa situação de emergência por causa do grande número de lesionados."Contra a Iugoslávia, não jogaram os titulares Di Biaggio, Totti e Vieri. Também estavam fora de combate os reservas Toldo e Materazzi. Para o jogo de quarta-feira, o técnico perdeu o atacante Filippo Inzaghi, por causa de uma lesão na planta do pé direito. Ele foi desligado neste domingo da delegação e para o seu lugar foi convocado Massimo Maccarone, do Middlesbrough. A dupla de ataque deverá ser formada por Del Piero e Montella.Trapattoni não aceita a comparação entre o estilo sem imaginação de sua equipe e o jogo vistoso e ofensivo do Milan, a sensação da Itália neste início de temporada. "O Milan tem muitos jogadores de seleções estrangeiras, é uma equipe multinacional."A Itália lidera o grupo 9 das Eliminatórias com quatro pontos em duas partidas. Na estréia, ganhou fora de casa do Azerbaijão por 2 a 0. Mas a Iugoslávia, seu principal adversário na luta pela classificação, fez só uma partida - jogará quarta-feira contra a Finlândia, em casa. E no segundo turno receberá a Itália em Belgrado, no jogo que poderá decidir quem será o campeão da chave.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.