Ituano, agora, quer ser supercampeão

Dirigentes e torcedores do Ituano não admitem,em hipótese alguma, dividir o título de campeão paulista de 2002 com o São Paulo caso este venha a vencer as finais do Supercampeonato. Mas para os jogadores, superar o adversário será a chance de provar que o time já atingiu o nível dos grandes clubes brasileiros. Esta discussão, inclusive, fez com que o atacante Basílio se atrapalhasse com as palavras após a eliminação do Corinthians, quarta-feira, pelas semifinais. "Não quis dizer que o Ituano éum time pequeno, mas que não conta com a mesma torcida e a mesma estrutura de um time como o Corinthians, o Palmeiras e o São Paulo", explicou. Para o técnico Ademir Fonseca, o seu time não precisa mais provar nada à ninguém. Mas ele deixa bem claro que decidir um título importante com o São Paulo e com toda a imprensa acompanhando é a chance dos jogadores "ganharem espaço e avançar na carreira". E completa seu raciocínio dizendo queconquistar o Superpaulistão será "uma prova de que também atingimos um estágio superior dentro do futebol brasileiro". É o que garante, pelos quatro cantos, o empresário Oliveira Junior, que comanda o clube há dois anos. "O título paulista já é nosso por direito, porque estava escrito no regulamento. Tanto que já recebemos até o troféu e as faixas. Mas queremos também o troféu deste Superpaulistão." Para evitar maiores discussõesele chega a ser ríspido: "Futebol se ganha no campo e não nos gabinetes", rejeitando a idéia do São Paulo em ficar com o título paulista caso passe pelo Ituano nas finais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.