Jabaquara volta e Coutinho é o técnico

A camisa vermelha com detalhes em amarelo, cores da bandeira espanhola, começou nesta sexta-feira uma nova fase. No campo do Litoral Futebol Clube, Coutinho assumiu o comando técnico do Jabaquara, que vai disputar a Série B (equivalente à quarta divisão) do Campeonato Paulista pensando em chegar logo à Série A-1. Com isso, a antiga dupla que encantou o mundo do futebol - Pelé e Coutinho - está junta novamente, já que o Rei é um dos donos do Litoral e cedeu quinze jogadores para Jabuca, numa parceria que envolve também o empresário Juan Figer, que apoia a iniciativa, vai ceder atletas e ajudar a bancar o investimento.Nesta sexta, debaixo de um sol muito forte, Coutinho teve o primeiro contato com o novo time. Antes, conversou com os jornalistas e falou de sua satisfação de voltar a trabalhar ao lado de Pelé, com quem jogou durante 12 anos seguidos no Santos, para o terror das defesas adversárias. "É muito bom esse reencontro e 35 anos depois que a dupla se desfez, voltamos a trabalhar juntos". Ele não considera a nova tarefa um desafio. "É uma mais uma passagem em minha carreira, vai ser importante por conta dos laços que tenho com a cidade a vamos procurar conseguir bons resultados dentro de campo".Se Coutinho teve o primeiro contato com os novos jogadores do Jabaquara, Manoel Maria, outro atleta dos melhores tempos do Santos, já os conhece bem. Ele vai fazer a ligação entre o Litoral e o Jabaquara e acredita no time que está sendo formado. "As perspectivas são boas, sabemos do potencial do time, que irá pegando maturidade durante a competição".A maior parte dos jogadores cedidos ao Jabaquara foi formada ali mesmo na escolinha do Litoral e o elenco ainda não está completo. Manoel Maria não fala em grandes revelações e comenta que é melhor esperar o campeonato começar para ver. "Tem alguns bons jogadores aqui que não deram certo em times grandes e que ainda sonha em ter oportunidade em equipes importantes. Vão querer dar a volta por cima e encontrar novos caminhos para suas carreiras".Entre os jogadores, o atacante Alemão jogou cinco anos pelo Corinthians, e Marcelinho, formado no Litoral, já disputou a Copa da Uefa, tendo jogado dois anos na Albânia. "Ele tem uma larga experiência, apesar de ser jovem", comentou Manoel Maria. Há também dois atletas que foram reserva de Robinho e Diego no juniores do Santos: André e Bruno, respectivamente.Negócios - Pela parceria, o Litoral fornece ao Jabaquara os jogadores para a disputa do Campeonato Paulista, bancando as despesas, e o Jabuca oferece sua camisa para que eles possam mostrar seu futebol. Para o presidente do time da colônia espanhola santista, Delchi Migotto, uma parceria com Pelé, Coutinho, Figer, Clodoaldo e outros, só pode ter sucesso. "Como a parceria com o Santos realizada anos atrás, esta também vai ser um grande sucesso", acredita Migotto, esclarecendo que todos os custos serão cobertos pelos parceiros e o Jabaquara entra com a camisa.O empresário Pepe Altstut, sócio de Pelé, entende que o Litoral não terá benefícios com a parceria. "Vamos colaborar com o Jabaquara porque ele tem um nome muito forte dentro da colônia espanhola e porque Pelé acha que os clubes da cidade devem colaborar entre si". Ele informou que seu clube está cedendo 15 de seus melhores jogadores para o Jabuca e a família Figer vai ajudar financeiramente.O Jabaquara é um dos times mais tradicionais da cidade e revelou o goleiro Gilmar. Foi formado inicialmente com os membros das colônias espanhola e portuguesa da cidade e curiosamente, o uniforme principal tinhas as cores da bandeira da Espanha e o reserva as de Portugal. Depois, os portugueses saíram do clube e fundaram a Portuguesa Santista.

Agencia Estado,

01 de abril de 2005 | 19h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.