Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Corinthians se recuperou por elenco 'calejado', diz Jadson

Meia exalta importância de jogadores experientes no grupo

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

16 de junho de 2015 | 12h45

Para o meia Jadson, o Corinthians soube superar a má fase e chegou ao G-4 do Campeonato Brasileiro porque possui jogadores "calejados" no seu elenco. Após passar três rodadas sem vitórias (um empate e duas derrotas seguidas), o time venceu seus dois últimos jogos, contra Joinville e Internacional, e subiu para a quarta colocação com 13 pontos, três a menos do que o líder São Paulo.

"Confiança é tudo. No começo do ano, nossa equipe conseguiu bons resultados, todo mundo falou bem. Saímos do Paulista e da Libertadores, e aí falaram que era a pior equipe. Ouvimos duras críticas depois das eliminações. Colocamos os pés no chão. Sempre que há derrotas, a pressão aumenta. Os jogadores estão calejados", disse o meia.

O Corinthians espera dar continuidade à sua recuperação no Campeonato Brasileiro diante do Santos, sábado, na Vila Belmiro. O rival está em má fase, na zona do rebaixamento, e ainda não vai contar com dois dos seus melhores jogadores: Robinho (com a seleção brasileira) e Lucas Lima (suspenso).

"Todo clássico é pegado e difícil, mas nosso time vem de duas vitórias e temos de levar essa confiança para a Vila Belmiro. Será complicado, mas temos de tomar proveito da situação que o Santos vive. Nossa equipe conseguiu impor um bom ritmo nos últimos três jogos, temos de continuar dessa maneira", disse Jadson.

No próximo sábado, Tite não poderá contar com o volante Cristian, com uma lesão na panturrilha direita. Assim, Ralf volta ao time titular. O treinador deve também mexer no ataque. Vagner Love pode ficar com a vaga de Romero.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansJadson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.