Vinnícius Silva/Cruzeiro
Vinnícius Silva/Cruzeiro

Jadson e Orejuela são apresentados e destacam a força do Cruzeiro

Volante foi contratado em negociação com o Fluminense e lateral colombiano estava no Ajax, da Holanda

Redação, Estadao Conteudo

08 de janeiro de 2019 | 19h28

O Cruzeiro apresentou nesta terça-feira, na Toca da Raposa II, em Belo Horizonte, mais dois reforços para a temporada de 2019. Trata-se do volante Jadson, que veio do Fluminense em uma negociação que envolveu o também volante Bruno Silva, e o lateral-direito colombiano Luis Orejuela, que estava no Ajax, da Holanda.

"Primeiro, queríamos manter o time vencedor, depois trazer atletas da base para completar. E para continuar vencedor tem de ter gente para fazer rodízio, pois o nosso calendário é estressante. Na década de 1960, foi mantendo o time que conseguimos títulos importantes. Também buscamos atletas que possam substituir alguns jogadores para evitar que a nossa performance caia. Assim buscamos atletas vencedores, no Fluminense o Jadson, que teve atuação excelente, e no futebol internacional buscamos o Orejuela", disse o presidente Wagner Pires de Sá.

"O Cruzeiro é uma das maiores equipes do Brasil. E os companheiros me receberam muito bem, pude participar de todas as atividades. Eles me acolheram bem e pude estar melhor adaptado. É o maior desafio da minha carreira. Espero aprender muito e, junto com meus companheiros, me tornar cada vez mais competitivo", disse Jadson.

O volante também revelou as suas principais características. "Sou um volante mais baixo que a maioria, mas sou tático, que tem na resistência um ponto alto. Espero ser usado da melhor forma pelo treinador. Estou muito empolgado para jogar a Libertadores, nunca participei da competição. Não vai faltar empenho e nem trabalho para buscar o título tão esperado pela diretoria e a torcida", afirmou.

Orejuela demonstrou entusiasmo por poder atuar no futebol brasileiro pela primeira vez. "Sempre quis jogar neste país, ainda mais em um clube com tantos títulos quanto o Cruzeiro. Fui à Europa aprender e retornar à América do Sul, a um grande clube, é uma motivação nova".

O colombiano, de 23 anos, falou também sobre a sua experiência na Copa Libertadores, quando atuou pelo Deportivo Cali. "Tive a oportunidade de jogar a Libertadores pelo Deportivo Cali, contra grandes equipes. Espero vir aqui doar o máximo de mim e conseguir o título. Me considero um jogador veloz, muito técnico, que gosta de ir ao ataque. E que é agressivo na marcação", completou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.