Bernardino Avila/Efe
Bernardino Avila/Efe

Jadson espera nova chance como titular da seleção brasileira

'Sobre a escalação, é o Mano que decide e eu estou aqui para ajudar', diz o meia

AE, Agência Estado

12 de julho de 2011 | 14h02

CAMPANA - Grande surpresa do técnico Mano Menezes para a partida diante do Paraguai, no último sábado, o meia Jadson demonstrou qualidade e marcou o primeiro gol da partida, dando a vantagem de 1 a 0 para a seleção brasileira. Substituído no intervalo por já ter um cartão amarelo, ele viu o time cair de rendimento sem sua presença em campo, tomar a virada e só conseguir o empate no final da partida.

Por isso, o jogador espera uma nova chance como titular do Brasil diante do Equador, nesta quarta-feira, pela última rodada da primeira fase da Copa América. "Cheguei à seleção tentando conquistar meu espaço e estou trabalhando para isso. Sobre a escalação, é o Mano que decide e eu estou aqui para ajudar. Mas claro, espero receber uma nova chance", declarou Jadson.

Mesmo com o bom desempenho diante dos paraguaios, o jogador voltou a figurar entre os reservas no treino da última segunda-feira, sendo substituído pelo atacante Robinho, que voltaria à equipe após perder a vaga justamente para Jadson. Apesar desta aparente indecisão do treinador, o meia disse nesta terça que vê a situação com bastante naturalidade.

"Esta mudança nos treinos é válida, porque o Mano tem que testar a melhor formação. O Robinho é um grande jogador, já fez muito pela seleção e ainda está fazendo. O Mano está testando e eu vou fazer de tudo por essa vaga", afirmou Jadson, que só deve saber a escalação nesta quarta-feira, quando o treinador deve anunciar o time titular para encarar o Equador.

Com a vitória da Argentina sobre a Costa Rica, na última segunda-feira, por 3 a 0, basta um empate diante dos equatorianos para a seleção brasileira garantir a classificação para as quartas de final. Mas Jadson só pensa na vitória. "A Argentina conseguiu a vitória e a nossa seleção tem que chegar e lutar igual para vencer. Acho que depois da primeira vitória, as coisas caminharão melhor", avaliou o meia, lembrando que o Brasil vem de empates com Venezuela e Paraguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.