DANIEL TEIXEIRA | ESTADAO CONTEUDO
DANIEL TEIXEIRA | ESTADAO CONTEUDO

Jadson volta após um ano na China para ser protagonista no Corinthians

Destaque na conquista do Campeonato Brasileiro de 2015, meia fica por mais dois anos no Parque São Jorge

Daniel Batista e Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

01 Fevereiro 2017 | 07h00

Após quase um mês de negociação, Jadson acertou seu retorno ao Corinthians. Ele chega para ser o principal jogador da equipe, quase um salvador da pátria, decisivo como em sua primeira passagem pelo clube, entre 2014 e 2015. Na ocasião, fez 24 gols em 103 partidas, conquistando o título brasileiro em 2015. Em sua passagem anterior, tinha muitos jogadores de seleção ao seu lado, mas agora será o centro das atenções no time.

O pequeno meia de 1,68m de altura tem ótima visão de jogo e grande habilidade, que lhe ajudaram a dar 36 assistências no período em que esteve no Corinthians. A bola parada é uma de suas qualidades. Ele, aliás, foi autor do último gol de falta no clube, há mais de um ano e meio. Desde então, ninguém conseguiu balançar as redes com esse tipo de fundamento.

Outro ponto que coloca Jadson em patamar diferenciado é sua especialidade nos pênaltis. Ele teve oito chances quando vestiu a camisa alvinegra e marcou todas as vezes, um aproveitamento de 100%. Após sua saída, a equipe teve 15 pênaltis marcados a favor e só concluiu sete, menos da metade. Por tudo isso, a chegada do meia já enche a torcida de expectativa.

Ele firmou contrato por duas temporadas, depois de muitas negociações e quase desistência das duas partes – o atleta preferia vínculo de três anos. Existe a expectativa de o jogador ser apresentado à torcida no amistoso contra a Ferroviária, hoje, às 21h45, na Arena Corinthians.

Os valores da negociação com Jadson não foram revelados, mas o clube pagará em torno de R$ 450 mil por mês, mais R$ 5 milhões de luvas a agentes. Ele será integrado ao time nos próximos dias e corre para ter condições de jogar nas primeiras rodadas do Paulista.

O meia retorna após ter sido vendido ao Tianjin Quanjian por 5 milhões de euros (R$ 17 milhões). No clube chinês, ajudou na conquista do acesso. Ele tinha ainda mais um ano de contrato. O problema é que o Tianjin tinha muitos estrangeiros no elenco e Jadson não seria aproveitado. Então, conseguiu acertar a rescisão contratual e ficou com caminho livre para retornar ao futebol brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.